Há mais de 50 cursos e mestrados integrados com desemprego acima dos 10%

Por áreas, é na do Direito, Ciências Sociais e Serviços que aparecem os cursos com menos garantia de colocação no mercado. O curso de Serviço Social é o que mais se repete. Segue-se Solicitadoria.

Direito, Ciências Sociais e Serviços é a área de conhecimento que mais cursos tem com desemprego acima de 10%. Os futuros advogados podem ficar descansados, pois nenhuma das suas licenciaturas ou mestrados integrados aparece nesta lista. São os cursos de Serviços Sociais que mais se repetem (sete vezes) e é um deles, ministrado na Universidade Católica, que apresenta a maior taxa de desemprego da lista: 25,8%. Os restantes são todos lecionados em diferentes instituições: Instituto Politécnico de Viseu, Universidade Lusófona do Porto, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Instituto Superior de Serviço Social do Porto, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e Instituto Politécnico de Viseu

Logo a seguir, e dentro da mesma área, o curso com mais desemprego é o de Solicitadoria, com quatro repetições na lista. O terceiro lugar é ainda na área de Direito, Ciências Sociais e Serviços — Turismo, que tem três cursos na lista (Escola Superior de Tecnologias de Fafe, Católica e Universidade Portucalense Infante D. Henrique).

No entanto, os números, disponíveis no portal Infocursos desde 7 de julho, olham apenas para a percentagem de recém-diplomados registados como desempregados no IEFP — Instituto do Emprego e Formação Profissional —, não considerando, por exemplo, outros jovens que podem até estar a trabalhar, mas não na área em que se formaram.

Continuando a descer na taxa de desemprego, e olhando agora para os cursos, a seguir ao de Serviços Sociais aparece o de Comunicação Multimédia, no Instituto Politécnico da Guarda, com 18,7%, um valor bastante mais abaixo do que o do curso que ficou em primeiro lugar. Segue-se, com uma taxa de desemprego muito semelhante (18,5%), o curso de Gestão Turística, Cultural e Patrimonial do Politécnico de Viseu. E é preciso chegar a este lugar da lista para entramos noutra área de conhecimento, a Economia, Gestão e Contabilidade que tem nove cursos na lista, o que lhe confere o terceiro lugar no ranking das áreas de conhecimento com maior taxa de desemprego.

O segundo lugar é para Arquitetura, Artes Plásticas e Design, mas apenas por uma unha negra: tem 10 cursos com desemprego registado acima dos 10%.

Voltando a olhar para os cursos, o quinto lugar está ocupado pelo curso de Marketing e Publicidade do Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo (17,4%) e, de novo, na área de Direito, Ciências Sociais e Serviços. Marketing tem mais dois cursos com desemprego elevado: na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (13,7%) e na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu (10,3%).

Por último, filtrando os resultados por tipo de instituição e natureza de ensino, vê-se que os cursos com mais desemprego aparecem mais em politécnicos do que em universidades (19 contra 12) e a diferença entre cursos ministrados entre rede pública e privada esbate-se (também 19 versus 12).

[Para ver todos os dados, passe o cursor sobre a tabela]

Recomendamos

Populares

Últimas

A página está a demorar muito tempo.