Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Os preços da eletricidade vão baixar em Portugal nos próximos anos, afirma o secretário de Estado Adjunto e da Energia, mas não será necessariamente por via da redução do IVA, nem pela litigância com as empresas do setor. Em entrevista ao programa Sob Escuta da Rádio Observador, João Galamba não se compromete com um calendário para baixar o imposto sobre os “consumos essenciais”, mas garante que foram tomadas medidas, desde logo o leilão de energia solar, para os preços baixarem nos próximos anos. Quanto? Logo se verá.

Sobre o polémico lítio, assegura que o Governo “não quer furar o país todo”, mas avisa que sem a indústria mineira também não há descarbonização. Este foi, aliás, o tema forte de uma entrevista em que defendeu uma unidade de hidrogénio verde em Sines — porque é produzido a partir da eletricidade renovável, que em Portugal terá um custo “baixíssimo”. O projeto, “essencial” para limpar a indústria pesada europeia, até pode vir a salvar a rede de gás natural da falência e, nessa medida, ser compensado pelos preços da energia. Deixou ainda o aviso: O Governo não quer a descarbonização a qualquer preço e por isso afasta medidas que mutilem o crescimento da economia.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.