Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

[Entrevista divulgada originalmente a 19 de janeiro de 2015 e republicada agora, a propósito da polémica com a tenista norte-americana Serena Williams]

Arrasta a voz e deambula pela memória. Nota-se que lhe custa chegar a um número. “Ora bem, deixe-me lá ver”, diz, quando começa a fazer contas às finais de torneios do Grand Slam, os maiores e mais importantes do ténis mundial — são quatro, já agora, o de Wimbledon, Roland Garros, Open dos EUA e Open da Austrália — em que já esteve. Demora alguns segundos, mas acaba por lá chegar. “Já estive na final de singulares masculinos de todos. Só na Austrália fiz três…”, indica, antes de pensar alto e concluir que foram seis. Meia dúzia de finais.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.