Este mês voltou a surgir uma publicação de 2019 que continha uma fotografia de Putin, com o seguinte texto: “Quando um africano fica rico, as suas contas bancárias estão na Suíça. Viaja para França para tratamento médico. Investe na Alemanha. Fez compras no Dubai. Consome produtos chineses. Ora em Roma ou em Meca. Os seus filhos estudam na Europa. Viaja para o Canadá, Estados Unidos da América ou Europa. Se ele morrer, será enterrado no seu país nativo. África é apenas um cemitério para os africanos”. O post chegou às 20,1 mil visualizações e 273 partilhas. Trata-se, no entanto, de uma publicação falsa.

Publicação teve mais de 20 mil visualizações

Já quanto à imagem que vem associada à publicação, ela parece ser de um print de uma conversa de Whatsapp. O texto associado, apesar de ter uma imagem de Putin – que é, na verdade, a sua escultura em cera -, não refere nenhuma data ou o órgão de comunicação social onde o presidente possa ter sido citado a proferir aquelas considerações sobre os africanos e o continente africano.

Recorrendo ao Google News da Rússia, também não encontramos notícias que citem aquela frase do presidente russo. Por outro lado, encontram-se sim, algumas notícias que desmentem a informação veiculada por este post. A informação vinculada a Putin vem associada a um post de Instagram, alegadamente associado ao canal de televisão Al Jazeera, na conta “Al Jazeera West Africa”. Mas segundo a Federal News Agency (Riafan.ru), agência noticiosa russa que verificou a veracidade da publicação, a conta em questão é falsa e costuma disseminar informações falsas sobre vários líderes políticos. O Observador procurou esta página, que entretanto já tinha mudado de nome, tanto no Facebook como no Instagram, mas não encontrou resultados associados. No mesmo sentido, o Centre for Democracy & Development, uma organização sem fins lucrativos, que verificou também esta publicação, não encontrou a conta em causa. Refere, inclusivamente, que a publicação não está baseada em qualquer tipo de informação credível e que pretende “desinformar os africanos”, lê-se na notícia.

No continente africano, por outro lado, o Africa Check, informa que esta publicação já estava a ser partilhada desde 2018, tendo voltado a ser disseminada um ano depois em alguns meios de comunicação africanos, como o Zambian Observer, e até num popular fórum online, o Nairaland. Mais uma vez, em nenhuma destas publicações é referida a data ou o local onde Putin terá proferido tal afirmação. Este site de fact checking acrescenta, ainda, que há dois anos, Putin também foi falsamente citado, apelidando alegadamente, então, o Paquistão como “o cemitério dos Paquistaneses”. Na altura, o site indiano de fact checking Fact Crescendo chegou à conclusão que o presidente russo nunca afirmara tal coisa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Conclusão

Não é verdade que Putin tenha dito que “África é um cemitério para os africanos”.  A imagem associada à publicação não contém o local, nem a data, onde o presidente russo terá feito aquelas afirmações e o Observador não encontrou citação de nenhuma das afirmações em qualquer orgão de comunicação social. Pelo menos três sites de factcheckinghaviam já concluído tratar-se de uma publicação falsa. A informação já tinha sido partilhada com utilização abusiva do logótipo do canal de televisão Al Jazeera, através de uma página que habitualmente propaga informações falsas sobre líderes políticos.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge