Rádio Observador

Global Shapers

A produtividade e a motivação nas empresas

Autor

Como seres humanos, todos nós procuramos o desenvolvimento e queremos ser melhores. Para tal, temos de ter um ambiente onde possamos crescer. Criar esse ambiente é a principal função dos líderes.

Portugal é o quarto país da União Europeia onde as pessoas trabalham mais horas por semana. No geral, essas horas a mais não se traduzem em valor acrescentado na nossa economia, tendo até a nossa produtividade baixado no último ano. O que nos falta para transformar menos horas em mais valor?

O autor americano Daniel Pink, no seu livro Drive, descreve as 3 fontes de motivação das pessoas no contexto de trabalho: autonomia – relacionado com a auto-determinação; mestria – a vontade de ser melhor; e propósito – trabalhar em algo com significado.

Dificilmente uma empresa consegue oferecer as três componentes, mas pode proporcionar uma mistura entre elas, onde uma se pode destacar, dependendo da cultura de cada negócio.

A questão salarial é fonte de motivação até um certo ponto, a partir do qual tem um efeito inverso. Assim, as 3 dimensões acima referidas assumem especial importância e têm algo em comum: nenhuma é aprendida ou ensinada numa sala de formação  ou num curso.

Como seres humanos, todos nós procuramos o desenvolvimento  e queremos ser melhores. Para tal, temos de ter um ambiente onde possamos crescer. Criar esse ambiente é a principal função dos líderes das empresas. Sem o empenho da equipa de gestão as pessoas vão cristalizar na sua função e repetir a sua rotina até saírem, o que, com a atual necessidade de adaptação, é um custo que nenhuma empresa pode acarretar.

Como fomentar o potencial das equipas

Há vários casos de empresas que procuram criar este ecossistema onde as pessoas têm mais autonomia, aprendem e sentem que estão a trabalhar para um propósito..

Para tal,  as empresas podem, por exemplo, desenvolver projectos variados e delegar responsabilidades  nos diferentes membros, como a planificação, estratégia, execução e avaliação de impacto. Para além disso, as conversas semanais para discussão dos projectos pessoais permitem identificar competências a desenvolver e dar ferramentas à pessoa para evoluir.

A discussão nas empresas tem-se centrado na falta de competências das pessoas numa altura de muita mudança e da automatização. Chegou a altura das empresas serem também responsáveis por contribuir para essa transição – criando espaços para as pessoas crescerem e se desenvolverem. Quando o fizerem, vão perceber que não são só as pessoas que irão beneficiar, mas os seus resultados também.

Daniel Araújo, 31 anos, é o CEO da Attentive, uma empresa tecnológica criada em 2015, considerada “Top 10 B2B Startup in Europe” em 2016. Em 2017, participou no programa de aceleração Techstars em Boulder, EUA. Antes de lançar a empresa, foi analista de Indústria na Google em Dublin e Londres durante cinco anos. Juntou-se ao Hub de Lisboa dos Global Shapers em 2017

O Observador associa-se aos Global Shapers Lisbon, comunidade do Fórum Económico Mundial para, semanalmente, discutir um tópico relevante da política nacional visto pelos olhos de um destes jovens líderes. Irão partilhar a visão para o futuro do país, com base nas respetivas áreas de especialidade, como aconteceu com este artigo. O artigo representa, portanto, a opinião pessoal do autor enquadrada nos valores da Comunidade dos Global Shapers.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Global Shapers

Recrutam-se pessoas

Daniel Araújo
313

Expressões vagas como "aprendo rápido" e "trabalho bem em equipa" ou “sou criativo” são termos comuns que pouco dizem sobre a pessoa. Esta dimensão pode ser mais relevante se ilustrada com exemplos.

Global Shapers

A ciência da nova gestão

Daniel Araújo
307

A gestão até aos dias de hoje estava preocupada em como construir um produto. Agora precisa de ferramentas para saber que produto produzir.

Global Shapers

Aproximar a lei dos cidadãos

Mariana Melo Egídio

Actualmente os cidadãos podem mais facilmente participar no processo legislativo e regulamentar, registando-se e seguindo o diploma ou comentando-o, isto é, enviando os seus contributos.

Global Shapers

10 medidas para revolucionar o SNS

Francisco Goiana da Silva
626

De uma vez por todas, o financiamento tem de acompanhar as escolhas dos utentes do SNS. Nesse dia, teremos um sistema em que o utente é realmente quem manda. Há algo mais democrático do que isso?

Global Shapers

O urinol que é arte /premium

Pedro Líbano Monteiro
115

Em que medida pode um urinol ser arte? Porque razão um urinol há de ser menos arte que um Picasso? Foi esta problemática que levou muitos artistas, no século XX, a expor obras como uma cama por fazer.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)