Logo Observador
Mundo

“Marine Le Pen é a Joana D’Arc do séc. XXI”

263

Brigitte Bardot, estrela francesa dos anos 1960, reafirmou o apoio à Frente Nacional, desejando que Marine Le Pen "salve a França".

Bardot está quase a fazer 80 anos

AFP/Getty Images

Autor
  • Catarina Falcão

À beira dos 80 anos, Brigitte Bardot, um dos maiores ícones sexuais do séc. XX, voltou a mostrar o seu apoio à Frente Nacional, especialmente à sua líder, Marine Le Pen. A atriz deseja que a eurodeputada, conotada com a extrema-direita, assuma responsabilidades governativas e “salve a França”.

“A Marine não precisa dos meus conselhos. Eu desejo que ela salve a França, ela é a Joana d’Arc do século XXI”, sublinhou Bardot em entrevista à Paris Match, publicada esta semana. A atriz já tinha anteriormente dado o seu apoio à Frente Nacional pela oposição de Le Pen à carne halal – carne produzida especialmente para a comunidade muçulmana, onde os animais são sangrados até à morte – em França.

Há décadas que Bardot desenvolve através da sua fundação a defesa dos direitos dos animais em França e no mundo. “Eu vou continuar a chocar os simples de espírito, os medíocres e os sectários. Vou dizer toda a minha vida o que penso, quer gostem, quer não”, afirmou Bardot que vai completar oito décadas de vida em setembro.

Como prendas de aniversário, a atriz diz que vai “exigir” a François Hollande que se mude  estatuto do cavalo de animal de trabalho para animal de companhia, evitando assim o seu abate, e o fim do consumo da carne de cavalo em França. Bardot diz que se vai continuar a bater contra a morte dos animais por sangria.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Geopolítica

Das narrativas morais

Diana Soller

Tanto nos preocupámos com a possibilidade do “Outro” mudar a face da nossa “civilização” que nos esquecemos que, a maioria das vezes, as civilizações se corroem por dentro.

Educação

O Filipa e a escola pública

Maria José Melo

Portugal só será realmente um país civilizado quando existir consciência cívica por parte de todos os cidadãos. Foi esta visão que adquiri no Liceu D. Filipa de Lencastre e me acompanhou toda a vida.