Logo Observador
Património da Humanidade

UNESCO declara yoga Património Imaterial da Humanidade

8.835

O yoga indiano foi eleito Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Na decisão, o organismo salientou a influência da prática na sociedade da Índia.

O yoga é uma prática que, por norma, é transmitida segundo o modelo de ensinamento mestre-aluno

RAMINDER PAL SINGH/EPA

O yoga da Índia foi declarado esta quinta-feira Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, anunciou organismo, citado pela agência EFE. A decisão foi tomada pelo Comité Intergovernamental durante uma reunião em Adis Abeba, na Etiópia, onde foi atribuída a mesma classificação à falcoaria portuguesa e à olaria negra de Bisalhães, em Vila Real.

O comité considerou que a filosofia subjacente ao yoga “influenciou numerosos aspetos da sociedade” indiana, “que vão desde a saúde à medicina, até à educação e as artes”. A UNESCO destacou ainda a “unificação da mente, do corpo e da alma para melhorar o bem-estar mental, físico e espiritual das pessoas” para quem exercita esta prática.

Esta prática cultural é transmitida segundo o modelo de ensinamento mestre-aluno, mas atualmente existem mosteiros, instituições educativas e centros comunitários que também contribuem para a sua transmissão.

O Comité Intergovernamental da UNESCO reúne-se uma vez por ano para examinar o funcionamento da Convenção e examinar as candidaturas apresentadas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

“Para inglês ver”

Paulo Tunhas

Quando toda a energia do Governo é em última análise canalizada para a manutenção do seu apoio, é fatal que o Estado se degrade e a pouco e pouco, se fragmente, se transforme em algo para inglês ver. 

Ásia

A Índia de Modi

Diana Soller

A política externa da Índia para os Estados Unidos, até hoje, pode ser resumida em três R: Ressentimento, Reciprocidade e Reconhecimento.

caderno de apontamentos

Educação e autarquias

Abel Baptista

Com a descentralização, não poderão as autarquias tornar-se mais competitivas entre si, e oferecer meios de ensino de melhor qualidade, com soluções adaptadas às circunstâncias do concelho e região?