Logo Observador
Futebol

Adeptos russos prometem “festival de violência” no Mundial 2018

Os 'hooligans' russos prometeram um "festival de violência" no Mundial de futebol de 2018. As autoridades dizem que é só "propaganda destinada a desacreditar" a organização do torneio.

O responsável máximo pela segurança da Federação Russa de Futebol defendeu que o principal objetivo era influenciar os adeptos britânicos, demovendo-os de viajarem para a Rússia para a apoiar a sua seleção

Os ‘hooligans’ russos prometeram um “festival de violência” no Mundial de futebol de 2018, numa reportagem emitida na quinta-feira pela BBC 2. Mas as autoridades acham que é só “propaganda destinada a desacreditar” a organização do torneio.

“Para alguns será um festival de futebol, para outros será um festival de violência”, ameaçou um ‘hooligan’, filmado perto da Arena Rostov, um dos estádios da fase final do Campeonato do Mundo, que será organizado pela Rússia.

Para o responsável máximo pela segurança da Federação Russa de Futebol, Vladimir Markin, o documentário da BBC, intitulado ‘Hooligan Army’ [Exército Hooligan] insere-se numa “campanha de propaganda destinada a desacreditar a Rússia, o futebol russo e o Mundial”.

Markin defendeu que o principal objetivo do trabalho jornalístico era influenciar os adeptos britânicos, demovendo-os de viajarem para a Rússia para a apoiar a sua seleção, caso se qualifique para a fase final, que se vai disputar entre 14 de junho e 15 de julho de 2018. “A Rússia deu todas as garantias em matéria de segurança, que foram aceites, e cumprirá plenamente com as suas obrigações”, disse o vice-primeiro ministro russo, Vitaly Mutko, que desempenha também as funções de presidente da comissão organizadora da prova.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Media

A política improvisada

Pedro Correia Gonçalves

Os políticos não podem aparecer todos os dias nos telejornais a fazer declarações repentinas sobre um qualquer assunto do dia sempre que saiam do carro ou entrem num edifício. Não é essa a sua função.

Democracia

Na terra do la la

Paulo de Almeida Sande

Brexit, Trump, Wilders, Le Pen, o fim do euro, do comércio global, da imprensa livre, são todas, embora distintas, faces da moeda cujo principal valor consiste na criação de um mundo novo autoritário.