Afeganistão

Em 24 horas, mais de 30 mortos no Afeganistão

Um total de 31 pessoas, incluindo 10 polícias afegãos e 10 rebeldes talibãs, foram mortas nas últimas 24 horas no Afeganistão em três incidentes em diferentes zonas do país.

Nem os talibãs nem o grupo extremista Estado Islâmico reivindicaram até agora os ataques em Nangarhar ou em Logar, mas Salleh acusou os talibãs de terem colocado a bomba

AHMADULLAH AHMADI/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Um total de 31 pessoas, incluindo 10 polícias afegãos e 10 rebeldes talibãs, foram mortas nas últimas 24 horas no Afeganistão em três incidentes em diferentes zonas do país, informaram esta sexta-feira as autoridades locais.

Na província de Logar (leste), uma bomba explodiu hoje à beira de uma estrada, matando 11 pessoas — cinco mulheres, cinco crianças e um homem — da mesma família, que se dirigiam para um casamento, disse Salim Salleh, porta-voz do governador da província.

No nordeste do Afeganistão, na província de Kapisa, os talibãs atacaram hoje um posto de controlo da polícia e mataram cinco agentes, indicou o porta-voz do governador provincial, Qais Qaderi, adiantando que 10 dos atacantes, incluindo dois comandantes, também foram mortos.

Na noite de quinta-feira, na província de Nangarhar (leste, na fronteira com o Paquistão), cinco polícias foram mortos por um colega quando dormiam, num posto avançado no distrito de Ghanikhil.

Depois do ataque, o polícia fugiu levando todas as armas de fogo das vítimas, segundo o governador distrital, Abul Wahab Momand.

Nem os talibãs nem o grupo extremista Estado Islâmico reivindicaram até agora os ataques em Nangarhar ou em Logar, mas Salleh acusou os talibãs de terem colocado a bomba.

O Afeganistão tem o maior número de vítimas de minas no mundo, que juntamente com as bombas nas estradas matam ou ferem cerca de 140 pessoas por mês. Os talibãs intensificaram os seus ataques desde o mês passado no quadro da ofensiva da primavera.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site