Logo Observador
Canadá

O homem que desafiou um tornado no Canadá

A foto de um homem a aparar calmamente a relva do seu jardim está-se a tornar viral. Porque não era um dia normal de jardinagem... Havia um tornado a poucos quilómetros de sua casa.

O tornado não causou grandes estragos na cidade, apenas pequenos danos estruturais foram reportados

A foto de um canadiano que se encontra calmamente a aparar a relva do seu jardim está-se a tornar viral na internet. Porquê? Não foi por ser um dia de jardinagem normal… mas sim, porque havia um tornado a poucos quilómetros de sua casa.

“Perfeitamente consciente” e “sem preocupação” foi desta forma que Cecilia Wessels descreveu o estado de espírito do marido à BBC quando tirou a foto. O tornado apenas a dois quilómetros de sua casa em Alberta, no Canadá, estava muito mais longe do que parece na fotografia. “A tempestade desapareceu rapidamente”, afirma Cecilia.

A mulher de Theunis Wessels contou que estava a dormir na sexta-feira, quando foi acordada pela filha visivelmente preocupada com a atitude do pai. Quando se dirigiu ao exterior, Theunis disse que estava tudo sob controlo.

Muitos residentes estavam a tirar fotografias do fenómeno e Cecilia decidiu postar a sua foto nas redes sociais, que rapidamente se tornou viral: em apenas dois dias foi partilhada quase quatro mil vezes. O tornado não causou grandes estragos na cidade, apenas pequenos danos estruturais foram reportados.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

“Para inglês ver”

Paulo Tunhas

Quando toda a energia do Governo é em última análise canalizada para a manutenção do seu apoio, é fatal que o Estado se degrade e a pouco e pouco, se fragmente, se transforme em algo para inglês ver. 

Ásia

A Índia de Modi

Diana Soller

A política externa da Índia para os Estados Unidos, até hoje, pode ser resumida em três R: Ressentimento, Reciprocidade e Reconhecimento.

caderno de apontamentos

Educação e autarquias

Abel Baptista

Com a descentralização, não poderão as autarquias tornar-se mais competitivas entre si, e oferecer meios de ensino de melhor qualidade, com soluções adaptadas às circunstâncias do concelho e região?