Logo Observador
França

Governo francês demite-se hoje para “remodelação técnica”

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, deverá apresentar a demissão do seu Governo para uma "remodelação técnica", um dia depois das legislativas que deram a maioria ao novo Presidente.

O partido do Presidente centrista Emmanuel Macron, A República Em Marcha, e o aliado MoDem, obtiveram no domingo uma maioria absoluta confortável na Assembleia Nacional, elegendo 351 dos 577 deputados da câmara

ETIENNE LAURENT/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, deverá apresentar esta segunda-feira a demissão do seu Governo para uma “remodelação técnica”, anunciou o porta-voz do executivo, um dia depois das legislativas que deram a maioria absoluta ao novo Presidente.

“O primeiro-ministro vai apresentar a demissão nas próximas horas”, “durante esta segunda-feira”, “como é hábito”, disse Christophe Castaner à rádio RTL. A demissão do executivo após as legislativas é um procedimento formal previsto na lei.

“Nos próximos dias será constituído um novo Governo sob a autoridade, penso, de Édouard Philippe”, acrescentou o porta-voz, acrescentando tratar-se de uma pequena “remodelação técnica”.

O partido do Presidente centrista Emmanuel Macron, A República Em Marcha, e o aliado MoDem, obtiveram no domingo uma maioria absoluta confortável na Assembleia Nacional, elegendo 351 dos 577 deputados da câmara. Esta segunda volta das legislativas foi marcada por uma elevada taxa de abstenção, de cerca de 57%.

Questionado sobre a fraca participação, Castaner disse que o partido sabia, “desde a primeira volta”, realizada a 11 de junho, que “o risco era grande”: “Possivelmente este sentimento de vitória adquirida desmobilizou parte do nosso eleitorado”, disse.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
União Europeia

Uma nova Europa?

Diana Soller

A Europa, nos últimos anos, transformou-se. Os eleitores favorecem cada vez mais um tipo de candidatos que não pertencem bem ao sistema político tradicional, mas que também não estão fora dele.