Literatura

Portugal e Cabo Verde criam prémio literário Arnaldo França

As imprensas de Portugal e Cabo Verde criaram o prémio literário Arnaldo França. Vai distinguir anualmente escritores cabo-verdianos e publicar as suas obras nos dois países.

O poeta Arnaldo França foi um nome maior da literatura cabo-verdiana

Lusa

O prémio literário Arnaldo França, criado pelas imprensas nacionais de Portugal e Cabo Verde e anunciado esta quinta-feira na cidade da Praia, irá distinguir anualmente escritores cabo-verdianos com cinco mil euros e a publicação da obra premiada nos dois países.

O prémio foi anunciado no âmbito da Morabeza — Festa do Livro, pouco antes do início da sessão de lançamento do livro de Joaquim Arena, “Debaixo da Nossa Pele – Uma Viagem”.

Destinado a cidadãos cabo-verdianos, o prémio terá periodicidade anual e um valor de 5 mil euros. O autor premiado verá ainda a sua obra ser publicada pelas Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM), de Portugal, e pela Imprensa Nacional de Cabo Verde (INCV).

Durante a apresentação, Duarte Azinheira, diretor de publicações da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, explicou que o prémio se insere na missão de promoção da língua portuguesa da INCM, adiantando terem já sido criados galardões semelhantes em Timor-Leste e Moçambique.

Dentro de 30 dias será conhecido o regulamento e escolhido o júri do prémio.

Duarte Azinheira sublinhou também o simbolismo e a importância de o prémio ter sido anunciado durante o festival literário Morabeza, em Cabo Verde.

Por seu lado, Miguel Semedo, administrador da Imprensa Nacional de Cabo Verde, destacou o papel do prémio para a promoção da produção literária em Cabo Verde.

Também presente na sessão, o ministro da Cultura e Indústrias Criativas de Cabo Verde, Abraão Vicente, sublinhou a escolha do poeta Arnaldo França, “uma referência única”, para dar nome a um prémio que visa estimular a produção literária em Cabo Verde.

Arnaldo Carlos de Vasconcelos França, nasceu na cidade da Praia em 1925 e morreu em 2015.

Reconhecido como poeta, ensaísta, académico, crítico, estudioso e historiador da literatura cabo-verdiana, é um dos nomes maiores da cultura cabo-verdiana.

É autor, entre outras obras, de “Notas sobre Poesia e Ficção Cabo-Verdianas” (1962). Colaborou com a INCM na “Obra Poética”, de Jorge Barbosa.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site