Edward Snowden está exilado em Moscovo desde que provocou o escândalo internacional ao exibir documentos que comprovam a espionagem em larga escala por parte da NSA (Agência Nacional de Segurança norte-americana). Agora, numa rara entrevista à NBC, a primeira a uma grande estação norte-americana, confirma que desejava voltar a casa mas que não o pode fazer dadas as acusações de traição que pendem sobre ele.

Continua a afirmar que o seu objetivo é melhorar as instituições do país, justificando assim as revelações efetuadas sobre os atos de espionagem da NSA que se espalharam pelos jornais do globo. O seu visto de permanência é de um ano, pelo que assume que, caso não possa voltar à pátria, irá pedir aos russos que renovem a sua autorização de residência

Snowden protagonizou a maior revelação jornalística norte-americana desde os anos 70, quando o Washington Post publicou a história Watergate. Desde o ano passado que é visto como um paladino da luta por uma internet melhor e mais justa, contra abusos de privacidade por parte de governos.