Perto de 50 pessoas estão a manifestar-se hoje contra um processo de despedimento coletivo à porta do Hotel Marriot, em Praia d’El Rey, Óbidos, onde a seleção portuguesa de futebol está a estagiar para o Mundial2014.

A manifestação, convocada pelo Sindicato de Hotelaria do Centro, mas que conta com o apoio de outros sindicatos da região, surge no dia em que o lote de 23 convocados da equipa lusa fica completo, com as chegadas do avançado Cristiano Ronaldo e dos defesas Pepe e Fábio Coentrão.

António Baião, presidente do Sindicato de Hotelaria do Centro, explicou à agência Lusa que a ação visa protestar contra o despedimento de 11 pessoas por parte do hotel onde, nos últimos anos, costuma ficar instalada a comitiva lusa antes de jogos ou grandes competições internacionais.

O dirigente sindical qualificou o processo de despedimento coletivo de “ilegal e incompreensível”, rejeitando que a manifestação tenha sido marcada para hoje por ser o dia em que Cristiano Ronaldo, designado melhor futebolista mundial em 2013, se junta à preparação da seleção portuguesa.

O avançado, tal como os outros dois colegas no Real Madrid, chegou mais tarde ao estágio da equipa nacional, por ter participado no sábado na vitória do clube espanhol na final da Liga dos Campeões, sobre o Atlético de Madrid, por 4-1, com Cristiano Ronaldo a fechar a contagem no prolongamento do jogo realizado no Estádio da Luz, em Lisboa.