O principal grupo rebelde islamita do Paquistão reivindicou o breve ataque de hoje ao aeroporto de Carachi, o segundo em dois dias.

O mesmo grupo, chamado Movimento dos Talibãs do Paquistão (TTP), já tinha reivindicado o primeiro ataque ao aeroporto, um assalto de 12 horas que resultou em 38 mortos, entre os quais os 10 militantes, na noite de domingo para segunda-feira.

O ataque de hoje terminou mais rapidamente, com a fuga dos assaltantes, e não fez quaisquer vítimas, disseram fontes dos serviços de segurança locais.

Homens armados tinham aberto fogo contra um posto de controlo situado na entrada do aeroporto, a mais de um quilómetro do terminal de passageiros.

“Os assaltantes fugiram após dispararem, e a situação está agora sob controlo”, disse o porta-voz da força paramilitar encarregada da segurança do aeroporto (ASF), Tahir Ali, uma hora após os primeiros disparos.

Os guardas da ASF responderam ao ataque com tiros para o ar e perseguiram os assaltantes, acrescentou.

Os assaltantes seriam dois, segundo a ASF, ou “3 ou 4”, segundo o general Asim Bajwa, porta-voz do exército, enviado como reforço após o ataque.

A aviação civil paquistanesa anunciara a suspensão dos voos naquele aeroporto, mas a situação foi normalizada ao início da tarde.