Nos últimos seis meses, nenhum líder mundial teve mais contacto com o presidente russo Vladimir Putin do que a chanceler alemã Angela Merkel. Esta é a conclusão de um levantamento feito pelo diário digital Quartz a partir das chamadas telefónicas e reuniões com outros líderes feitas pelo Palácio do Kremlin e disponíveis ao público.

A líder alemã falou com o presidente da Rússia o dobro de vezes que qualquer outro líder mundial, um número que se intensificou sobretudo nos últimos meses com a anexação da Crimeia e crise na Ucrânia. O presidente francês François Hollande também aumentou seu contacto com Putin nos últimos meses, fazendo-o o segundo líder mundial com mais chamadas pessoais e reuniões com o presidente russo. Barack Obama e o primeiro-ministro inglês David Cameron conversaram diretamente com Putin apenas duas vezes nos últimos três meses.

Ainda de acordo com os dados do Quartz, é de salientar que o primeiro-ministro holandês Mark Rutte falou com Putin quatro vezes nos últimos cinco dias, o que coincide com a confirmação da morte de 189 holandeses no espaço aéreo ucraniano na última quinta-feira, quando o avião MH17 da Malaysia Airlines voava de Amesterdão para Kuala Lumpur. Destas conversas, o diário digital destaca as diferentes descrições dadas sobre os eventos: enquanto o Palácio de Kremlin descreve as chamadas telefónicas entre os líderes como “construtivas”, o governo holandês qualificou-as como “extremamente intensas”.

No total, com base nos dados disponíveis, o presidente da Rússia recebeu 82 chamadas telefónicas de líderes mundiais nos últimos seis meses.