Ninguém quis assinar ainda o relatório de gestão do primeiro semestre do velho BES, que mostrou os prejuízos de 3,6 mil milhões de euros e precipitou o resgate do banco. Os ex-administradores do BES, segundo o Diário Económico, receberam o relatório no fim da semana passada, mas ainda não o assinaram. E sem isso também a auditora responsável, a KPMG, se recusa a assinar o documento.

A auditora não se responsabiliza pela veracidade da informação divulgada ao mercado no final de julho e admite não fechar as contas semestrais, segundo o mesmo jornal. A KPMG alega não ter tido acesso às demonstrações financeiras e anexos que, sequer, lhe permitissem avaliar a veracidade dos resultados apresentado.

O prazo para a aprovação do relatório é o final desta semana, no dia 31 de Agosto. Sendo possível que este termine sem um relatório de gestão das contas semestrais do BES, agora dividido em dois — entre o ‘bad bank’ e o Novo Banco.

De acordo com o Diário Económico, uma fonte oficial do Novo Banco diz que as contas foram aprovadas pelos administradores presentes na reunião do Conselho de Administração e pelo revisor oficial de contas, sublinhando que cabe aos reguladores esclarecer o que leva o auditor a não querer assinar o relatório de gestão.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Vítor Bento e João Moreira Rato, os principais administradores do Novo Banco, que substituíram ainda Ricardo Salgado e Morais Pires no velho BES, recusaram participar na elaboração do relatório e contas semestral, por este se reportar a um período anterior de gestão e por o pouco tempo que tiveram na transição não ter permitido “analisar adequadamente as referidas contas, nem os factos nelas reportados”.