Novas e mais apertadas sanções. Os Estados Unidos e a União Europeia preparam-se para endurecer posições contra a Rússia por causa da ação do país liderado Vladimir Putin na Ucrânia. A BBC, que cita fontes oficiais norte-americanas e britânicas, avança que os alvos das sanções serão a indústria de defesa russa, os bancos estatais e figuras próximas do presidente Putin.

O anúncio das novas medidas deverá ser feito esta sexta-feira, disse fonte do governo britânico à BBC. A fonte referiu que o objetivo “é forçar Putin a sentar-se à mesa de negociações e a deixar o campo de batalha”. Esta quinta-feira, na cimeira da NATO, que decorre em Gales, o presidente francês, Francois Hollande, já tinha adiantado que os líderes europeus poderão anunciar sanções esta sexta-feira e “colocá-las em ação se não houver progresso (no caso do conflito na Ucrânia), mas que tudo vai depender do que acontecer nas próximas horas.”

Os países ocidentais acusam a Rússia de enviar armas e tropas para apoiar os separatistas na Ucrânia, acusação recusada pelos russos.

Esta sexta-feira, na Bielorussia, arrancam as negociações de paz entre a Ucrânia, a Rússia e os rebeldes pró-russos. Na cimeira da Nato, o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse que um acordo de paz poderia ser alcançado, ainda assim, mostrou-se “moderadamente otimista” quanto ao desfecho das conversas. O líder dos rebeldes pró-russos terá dito que seria decretado um cessar-fogo às 11 da manhã de sexta caso um acordo de paz fosse alcançado.