A Serra Leoa colocou sob quarentena, com efeitos imediatos, três regiões do país onde vivem 1,2 milhões de pessoas, para evitar a propagação da epidemia de ébola, anunciou quarta-feira o Presidente Ernest Koroma.

“Os distritos Por Loko (norte) Moyamba (sul) estão sob quarentena com efeitos imediatos”, anunciou o Presidente, Ernest Bai Koroma, numa declaração televisiva na quarta-feira.

Esta medida, que vai durar o tempo que for necessário, atinge mais de 1,2 milhões de pessoas.

Kenema e Kailahun, dois distritos do leste do país e epicentro da epidemia na Serra Leoa, estão sob quarentena desde o início de agosto.

Atualmente estão afetados cinco dos 14 distritos do país, que totalizam mais de um terço da população afetada pela restrição de circulação do Governo.

“As pessoas que vivem nas zonas sob quarentena vão sofrer numerosas dificuldades, mas a sobrevivência dos cidadãos do nosso país é a nossa prioridade”, frisou o Presidente Koroma.

A epidemia de ébola já causou a morte a pelo menos 2.811 pessoas, 5.864 das quais na África Ocidental como a Libéria, Guiné e Serra Leoa (onde foram foram registados 1.813 casos e 593 mortos).