No dia 2 de agosto, Luís Marques Mendes dizia, em direto na SIC, que tudo estava definido para o BES. Que o Governo não ia resgatar o banco, mas sim que ia colocar dinheiro no Fundo de Resolução. E tudo o que disse foi confirmado menos de 24 depois pelo governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. Por ter divulgado essa informação, os socialistas desconfiam que tenha tido informação privilegiada e querem ouvir o ex-líder do PSD e comentador na comissão de inquérito ao BES, que vai arrancar na próxima semana.

Ao que o Observador apurou junto da bancada socialista, a intenção é perceber como sabia Marques Mendes da solução que só seria anunciada 24 horas depois, quando e como soube.

O ex-líder do PSD é apenas um dos nomes que consta da lista que os socialistas vão entregar esta quarta-feira até ao final do dia na Assembleia da República.

“Se deliberarem, irei com todo o gosto”, garantiu esta quarta-feira ao Observador o ex-líder social-democrata.

Marques Mendes anunciou no sábado dia 2 de agosto que a “recapitalização do BES não será feita com dinheiro do Estado”, mas até aí nem o Governo tinha falado nem o Banco de Portugal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os partidos têm até ao final desta quarta-feira para entregar a lista com os nomes que querem ouvir na comissão de inquérito e com a documentação que querem que seja entregue. Esses nomes, contudo, têm que ser aprovados pela maioria dos deputados.