Horta Pereira apresentará a peça “Água e um pouco de areia fina”, que consiste num tapete de grandes dimensões, realizado com diversos fios e cordas de nylon usados na pesca, que o artista recolheu em praias portuguesas. Os fios foram depois tecidos de modo a criar uma trama independente, representando ao mesmo tempo a recoleção do material e uma ‘performatividade’ associada à procura e encontro com o material da peça, explica a Travessa da Ermida.

A inauguração está marcada para sábado, às 17h00, ficando a peça de Rui Horta Pereira patente até 18 de janeiro de 2015 no MAP.

Nascido em Évora, em 1975, Horta Pereira é o artista que encerra o ciclo de exposições de arte contemporânea do Projecto Travessa da Ermida, iniciativa que tem estado a decorrer em 2014 e finaliza em janeiro de 2015 no MAP. Ao longo deste período passaram pelo museu os artistas Pedro Valdez Cardoso, Vasco Araújo, Ana Pérez-Quiroga, Madalena éme e Miguel Palma, nuns casos com obras emblemáticas escolhidas dos seus percursos artísticos ou, noutros casos, com obras cuja temática assentou na história do próprio museu. Rui Horta Pereira é formado em Escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, e desde 2000 que o seu trabalho se centra sobretudo na Escultura e no Desenho.

O Projeto Travessa da Ermida tem vindo a apresentar exposições de artistas contemporâneos portugueses e estrangeiros na capela Ermida de Nossa Senhora da Conceição, templo do século XVIII situado na zona de Belém, e também tem realizado parcerias com outras entidades.