436kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Bem vindos ao universo do costismo

Este artigo tem mais de 5 anos

As primeiras escolhas de António Costa foram mais experientes, mas o líder do PS quer dar a conhecer novas caras e rodeou-se também de uma nova geração. Conheça as caras.

Costa quer regenerar o PS, mas começou pela experiência
i

Costa quer regenerar o PS, mas começou pela experiência

Costa quer regenerar o PS, mas começou pela experiência

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São duas gerações de políticos que rodeiam o novo secretário-geral. Que perfazem o núcleo duro daquilo que deverá ser a próxima direção socialista. António Costa tem sido aconselhado por amigos de longa data, mais experientes, e também por mais jovens e recentes no partido. Aliás, tem sido tradição do líder do PS lançar jovens por onde tem passado, seja enquanto ministro da Justiça ou Administração Interna, seja na Câmara Municipal de Lisboa.

No núcleo de apoiantes, António Costa conta com os chamados jovens turcos. O grupo de quatro deputados, João Galamba, Pedro Nuno Santos, Pedro Delgado Alves e Duarte Cordeiro (este último agora vereador da Câmara Municipal de Lisboa) que assumiram o choque de frente com a anterior direção. Mas o distanciamento para a liderança de Seguro não foi apenas posição destes quatro deputados. O mesmo foi feito por Fernando Medina, Marcos Perestrello, João Tiago Silveira ou Carlos César, que foi dos primeiros a assumir estar do lado de Costa mesmo quando este fez o acordo com Seguro em 2013.

Do lado dos mais velhos, o distanciamento foi mais controlado e a coexistência foi mais pacífica. Vieira da Silva e Ferro Rodrigues continuaram no Parlamento num nível mais discreto. Algumas destas caras farão parte da futura direção do partido que sairá do congresso deste fim-de-semana, embora os estatutos do PS impeçam a acumulação de mandatos executivos no partido.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.