Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O desequilíbrio entre o número de homens e mulheres na China e as exigências feitas pelas noivas chinesas e pelos seus pais, fazem com que os jovens chineses procurem noivas fora do país. Perto de Handan, no sudoeste da China uma mulher vietnamita, casada com um chinês há 20 anos e que vivia nessa cidade, facilitava os casamentos com mulheres vietnamitas, até ter desaparecido no final de novembro, juntamente com cerca de 100 mulheres que tinha trazido para a China.

O caso é relatado pelo jornal Financial Times que dá conta da suspeita se essas mulheres apresentadas como vietnamitas não seriam verdadeiramente mulheres chineses raptadas das suas aldeias noutros pontos do país. A falta de mulheres faz com que jovens mulheres sejam raptadas e traficadas, sendo compradas posteriormente por jovens chineses que de outra forma não conseguem arranjar casamento.

A mulher vietnamita de Handan chama-se Wu Meiyu, começou a trazer jovens de Vietname no início do ano e cobrava aos jovens locais 13 mil euros para “conhecerem” e posteriormente casarem cada mulher vietnamita. A dificuldade de conseguir um casamento sem ter bons rendimentos e assim cumprir os exigentes critérios dos pais das noivas, potencia o tráfico de mulheres na China.

Agora, que as mulheres desapareceram sem deixar rasto, as famílias desconfiam da verdadeira proveniência das jovens já que falavam bem mandarim. A polícia está a investigar o caso já que na China este tipo de transação é ilegal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR