Os Estados Unidos classificaram na sexta-feira como “ironia trágica” a decisão do Tribunal Penal Internacional (TPI) de abrir uma investigação preliminar sobre possíveis crimes cometidos pelas forças israelitas contra palestinianos.

“Discordamos totalmente da ação tomada hoje [sexta-feira] pela procuradoria do TPI”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Jeff Rathke, em comunicado.

“É uma trágica ironia que Israel, que viu lançar mísseis terroristas contra os seus civis e bairros, esteja agora a ser escrutinado pelo TPI”.

A procuradora do TPI anunciou na sexta-feira a abertura de uma investigação preliminar, etapa prévia a um inquérito, a presumíveis crimes de guerra cometidos contra palestinianos, incluindo durante o último ano em Gaza.

A investigação preliminar visa determinar se existe “base razoável” para iniciar um inquérito, precisou o gabinete da procuradora Fatou Bensouda num comunicado, adiantando que a investigação será conduzida “com total independência e imparcialidade”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Avigdor Lieberman, já classificou como “escandalosa” a abertura da investigação preliminar pelo TPI, considerando que o seu “único objetivo é minar o direito de Israel de se defender contra o terrorismo”.