Na manhã de segunda-feira um drone caiu nos jardins da Casa Branca. O drone de tamanho médio sobrevoava os jardins da residência oficial do Presidente norte-americano a baixa altitude quando se despenhou. O caso foi dado a conhecer aos serviços secretos americanos pelo próprio piloto que, segundo a CNN, estaria apenas a divertir-se com o aparelho.

Os serviços secretos adiantam que além de o homem ter avisado da situação por iniciativa própria tem estado a cooperar com tudo o que lhe foi pedido e, por isso, não há motivos para desconfiar da veracidade das suas afirmações.

Não obstante, a Casa Branca esteve encerrada durante três horas após o incidente e a investigação irá continuar. Não haverá alterações na vida de Barack e Michelle Obama por se encontrarem em visita oficial à Índia. O Presidente já reagiu esta terça-feira, mostrando-se calmo e descartando a hipótese de qualquer “ameaça iminente à Casa Branca”. Quanto à origem do objeto, acrescentou ainda que o país e as autoridades “ainda se estão a adaptar a esta nova tecnologia”, pode ler-se no site Politico.

Tal como o presidente da Associação Federal de Aviação, também Obama sabe que há vantagens “incríveis” subjacentes à utilização do aparelho, mas que é preciso “regulamentar”. A regulamentação da posse e da utilização dos drones é um assunto que tem sido discutido nos Estados Unidos, principalmente à medida que estes se vão tornando cada vez mais acessíveis. E segundo a FAA, passa pela educação dos novos compradores e utilizadores.