Angela Merkel não irá aceitar reunir-se com Alexis Tsipras se o primeiro-ministro grego pedir um encontro bilateral entre os líderes da Alemanha e da Grécia no Conselho Europeu da próxima semana. Um fonte do Governo alemão disse à agência Bloomberg que Merkel quer, assim, tentar isolar o Governo grego e mostrar que não concorda com os planos de Alexis Tsipras e do seu ministro das Finanças, Yanis Varoufakis.

Berlim não consta da longa lista de cidades que os novos líderes do governo grego vão visitar nos próximos dias. Yanis Varoufakis reuniu-se com o seu homólogo francês, Michel Sapin, em Paris neste fim de semana e já voou até Londres para, esta segunda-feira, se encontrar com o chefe das Finanças do Reino Unido, George Osborne. Isto depois de na sexta-feira ter tido um encontro com o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem.

Já Alexis Tsipras vai a Chipre esta segunda-feira e visita depois Roma, Paris e Bruxelas. Estes contactos têm como objetivo a obtenção de apoios pelo Executivo grego com vista a uma renegociação do acordo entre Atenas e os seus parceiros europeus, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Adivinha-se, para dia 12, um encontro tenso entre os chefes de Estado da União Europeia. Será a primeira vez que Merkel se encontrará com Tsipras na qualidade de primeiro-ministro da Grécia, mas a fonte citada pela Bloomberg diz que a interação não irá além do encontro comum e que Angela Merkel não quererá encontrar-se a sós com Alexis Tsipras à margem desse encontro do Conselho Europeu.

“A Europa vai continuar a mostrar solidariedade com a Grécia, bem como para com os outros países mais afetados pela crise se estes países continuarem a promover as reformas internas e as poupanças orçamentais”, afirmou Merkel, em entrevista com o jornal alemão Hamburger Abendblatt publicada no sábado.

Do outro lado, o porta-voz do Governo grego, Gabriel Sakellaridis, disse à Bloomberg que Atenas “deseja uma cooperação e contactos com todos os governos e instituições da União Europeia”. “Assim, o Governo grego quer cooperar e ter contactos com o congénere alemão, e estamos certos de que essa vontade é recíproca”, afirmou o porta-voz.