Deficiência

Formar campeões “em casa, na vida” e só depois no atletismo

254

Jorge Pina tinha um sonho, houve "um casamento" e ele concretizou-se. Foi inaugurada esta quinta-feira, em Lisboa, a primeira escola de atletismo do país para crianças com deficiência.

Jorge Pina no Parque de Jogos 1.º de Maio, em Lisboa

© André Correia/Observador

O treino, por enquanto, ainda mantém os miúdos longe da pista de atletismo. Nem dentro do estádio estão. Numa manhã fria, com sol escondido atrás de nuvens cerradas, estão sete crianças num mini-circuito de escadas, pontes e redes, suportado por árvores, no meio do Parque de Jogos 1.º de Maio, em Lisboa. Correm, saltam, falam, riem-se e, sobretudo, sorriem. Mas, ali mesmo ao lado, em pé, há quem sorria mais e faça questão de estar bem perto dos exercícios que os mais novos vão executando. Jorge Pina não o consegue evitar.

Porque a felicidade das crianças que ali estão, garante, é também a sua. “As reações são sempre boas. Noto uma felicidade enorme, talvez porque não estavam habituados a fazerem estas atividades fora da escola”, diz o atleta paralímpico, invisual, já depois de o treino passar para a pista de tartã à qual, para fechar a sessão, os miúdos dão umas voltas em corrida.

No dia em que Observador vai espreitar e assistir a um treino só lá estão sete. Mas nesta escola de atletismo adaptado — a primeira no país dirigida a crianças com deficiência, que foi esta quinta-feira oficialmente inaugurada –, estão inscritas “já perto de 170”. Chegar às duas centenas é o objetivo até ao final do ano.

© André Correia/Observador

Mas há outros, e mais importantes, explica Jorge Pina, de 39 anos. “Aqui têm uma oportunidade de experimentarem algo que, se calhar, nunca tinham experimentado. Há muito poucos jovens portadores de deficiência a praticarem atletismo”, lamenta, sem abrandar para apontar que, além do desporto, a escola também os quer ver a “crescer como pessoas” e a “descobrirem-se mais a eles próprios”. Tudo com a ajuda de três treinadores da Associação Jorge Pina.

A competição acabará por aparecer, sublinha, embora as medalhas e os troféus não estejam no topo da escada das prioridades. “Queremos dar-lhes formação para serem campeões na vida e em casa. Se conseguirmos formar atletas olímpicos e paralímpicos também é bom, mas primeiro temos de formar aqui homens para, lá fora, poderem ser campeões”, defende, sem hesitar por um segundo. Foi esta convicção, e “sonho”, que deixou vincada numa reunião com a Rexona, na qual convenceu os responsáveis da marca a juntarem-se ao antigo pugilista e, hoje, maratonista invisual.

Deste “casamento”, como Jorge lhe chama, e que já existia, nasceu a escola em maio de 2014. “A ideia foi do Jorge, não nossa. Nós sempre nos revimos completamente no projeto”, garante Francisco Leitão de Sousa, da Rexona, ao revelar que, por ano, a escola representa um investimento a rondar os 100 mil euros, suportados na totalidade pela empresa. “Vamos chegar a um ponto em que nos vão faltar mais pólos. Só estamos neste momento em Lisboa, mas a ambição é partirmos para outros pontos do país, claramente”, indica.

Aos poucos, acredita Jorge Pina, antigo pugilista e maratonista invisual — participou nos Jogos Paralímpicos de 2012, em Londres — o projeto vai chegar a mais crianças. Além de algumas parcerias que já existem com escolas, o objetivo “também é ir aos centros de reabilitação, onde chegam pessoas com deficiência”. A “lacuna” que ainda existe, admite, é o transporte e as rodas que levam “os miúdos” à escola, ou a escola até aos miúdos.

Este ano, o primeiro, “será de aprendizagem” e de perseguição ao cenário que Jorge Pina deseja, em breve, ter a rodeá-lo: “Termos isto cheio de crianças a correrem e nós sem espaço para podermos andar.”

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Deficientes

Adorável compromisso de lideranças /premium

Laurinda Alves
355

24 homens e mulheres que gerem 24 das maiores empresas que operam em Portugal assinaram um documento em que se comprometem a reforçar nas suas organizações a empregabilidade de pessoas com deficiência

Deficientes

O Sol, quando nasce, é para todos! /premium

Laurinda Alves
526

Ir à praia e apanhar sol é, para pessoas portadoras de deficiência e/ou com mobilidade reduzida, fonte de bem-estar e saúde. É mesmo uma necessidade básica de saúde dos cidadãos, mediterrânicos ou não

Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)