É este domingo, pelas 17 horas de Lisboa, que Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia, apresenta o programa de governo ao Parlamento grego, depois do périplo que levou Tsipras e Yanis Varoufakis, ministro das Finanças, numa viagem pela Europa. Objetivo: conseguirem um acordo para um programa transitório até maio, para que seja encontrada uma solução para a dívida pública grega. Com a pouca vontade europeia, Tsipras vai agora dizer qual é a solução para o problema.

Nicholas Economides, professor de Economia na Universidade de Nova Iorque disse à Bloomberg que considera “muito pouco provável que a Zona Euro dê novo dinheiro à Grécia nos próximos meses”, o que faz com que o país fique numa “posição terrível”, tendo que “reverter ou aparar severamente” aquelas que tinham sido as suas promessas eleitorais.

Duas semanas depois de ter sido eleito, o primeiro-ministro grego sabe agora que não pode contar com um acordo com os alemães e que na próxima quarta-feira vai haver reunião de emergência do Eurogrupo para debater a questão da Grécia. Por enquanto, o presidente do Eurogrupo já afirmou que não há empréstimos ponte.