Pelo menos 18 civis morreram em ataques na zona leste da Ucrânia desde sexta-feira, segundo militares ucranianos e rebeldes separatistas, horas antes do cessar-fogo que entra em vigor às 00h00 de domingo (hora local).

“O inimigo continua a bombardear cidades sem consideração”, assinala um elemento do quartel-general das forças ucranianas citado pela agência EFE, afirmando que nas últimas 24 horas pelo menos 14 civis morreram por fogo de artilharia lançado pelos separatistas.

Por seu lado, o número dois das milícias pró-russas disse que, no mesmo período de tempo, na cidade de Donetsk morreram quatro civis por ataques ucranianos.

Segundo o comando militar de Kiev, as forças separatistas tentaram na madrugada deste sábado tomar as posições das tropas governamentais na cidade de Debalsteve, ponto estratégico de comunicação localizado na estrada que liga Donetsk e Lugansk, cidades controladas pelos pró-russos.

“Os rebeldes estão a destruir a cidade de Debaltseve. Há constantes bombardeamentos de artilharia em áreas residenciais e edifícios. A cidade está em chamas”, afirmou no Facebook o chefe da polícia pró-Kiev Vyacheslav Abroskin. Segundo a mesma fonte, o comando da polícia da cidade foi atingido por um roquete Grad.

O cessar-fogo, que deverá ser aplicado a partir das 00h00 de domingo, é o primeiro teste ao compromisso de Kiev e dos separatistas a um plano de paz.

O Conselho de Segurança da ONU vai reunir domingo em sessão de emergência para reforçar o acordo de cessar-fogo acordado em Minsk para o leste da Ucrânia.

De acordo com a agência AFP, o Conselho de Segurança deverá aprovar uma resolução apresentada pela Rússia instando todas as partes a aplicar o acordo de cessar-fogo a ter início domingo.