O primeiro-ministro grego assegurou este sábado que se deu “um passo importante” nas negociações com os seus homólogos europeus para renegociar o pagamento da dívida, destacando, no entanto, que “ainda é cedo para dizer que há acordo”.

Em declarações ao diário grego Real News, citado pela agência espanhola EFE, Alexis Tsipras assinalou que as negociações com o Eurogrupo na próxima segunda-feira “serão difíceis”.

“A nossa força será, uma vez mais, o apoio do povo”, afirmou o primeiro-ministro, que trabalha com a sua equipa em contrarrelógio durante este fim de semana para preparar as posições da Grécia no Eurogrupo.

Tsipras destacou que nos últimos encontros em Bruxelas os parceiros estiveram reunidos “com outra Grécia, que sabe o caminho que quer seguir”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Depois de inúmeras reuniões que o governante teve com a sua equipa, fontes governamentais citadas pela imprensa local referiram que Tsipras está otimista quanto à possibilidade de alcançar um acordo com os parceiros, embora Bruxelas se mostre reticente.

Na passada quarta-feira, Tsipras e o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, concordaram em retomar de imediato as conversações técnicas entre Atenas e as três instituições internacionais que formam a ‘troika’: a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Entre as vozes reticentes está Dijsselbloem, que disse estar “pessimista” sobre algum acordo na próxima segunda-feira, e do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, que declarou “haver ainda muito por fazer”.

Atenas vai estar na próxima reunião do Eurogrupo com uma proposta de um financiamento ponte através de um leilão de obrigações do Tesouro no valor de oito mil milhões de euros mais 1,9 mil milhões que o governo grego reclama do BCE, procedentes do rendimento dos juros gregos.