A chanceler alemã Angela Merkel afirmou esta sexta-feira em Paris que, caso o cessar-fogo no leste da Ucrânia não seja completamente implementado, a União Europeia poderá ver-se obrigada a “reativar as sanções” contra a Rússia e a considerar impor novas sanções àquele país. Numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente francês François Hollande, Merkel salientou que a paz “não vai acontecer automaticamente, é um processo lento e complicado”.

Ainda assim, os dois líderes apelaram a uma implementação efetiva do acordo de cessar-fogo acordado em Minsk, na Bielorrússia. “Não fomos a Minsk para impor sanções, foi para criar a paz”, disse Merkel. Hollande, por seu turno, assumindo que as tréguas foram já quebradas “diversas vezes”, reforçou que o acordo obtido entre França, Alemanha, Ucrânia e Rússia deve ser cumprido. “Não há confirmação de que os tanques russos entraram na Ucrânia”, afirmou Hollande, para quem, apesar disto, há riscos de que a situação naquele país piore nos próximos tempos.

O encontro de Angela Merkel e François Hollande esta sexta-feira em Paris vem na sequência dos encontros em Minsk na semana passada e da retirada das tropas ucranianas de Debaltseve, uma cidade considerada fulcral na região reclamada pelos separatistas pró-russos.

A reunião na capital francesa antecede igualmente o encontro do Eurogrupo, às 15h30, onde será discutido o pedido de extensão de empréstimo da Grécia (que pode acompanhar aqui). Merkel e Hollande discutiram o problema grego, afastando qualquer cenário de saída do país do euro.