Yanis Varoufakis, o ministro das Finanças da Grécia, aderiu a uma campanha promovida pela Amnistia Internacional como objetivo de pôr fim às mortes resultantes da imigração ilegal junto às fronteiras europeias. Como? O ministro grego apareceu esta segunda-feira numa fotografia publicada no Twitter, onde está lado a lado com uma ativista que terá conhecido por mero acaso numa viagem de avião.

Na imagem, partilhada pela utilizadora Eliza Goroya, que se assume como ativista no perfil da respetiva rede social, Varoufakis segura uma folha cuja mensagem “SOS Europe – People before borders” é clara — as pessoas são mais importantes do que as fronteiras. Como se dúvidas houvesse, na legenda da imagem lê-se ainda que o economista grego apoia a Amnistia Internacional no combate às mortes nos mares e junto às fronteiras europeias. A campanha em questão critica as leis da Europa tendo em conta a imigração, alegando que estas colocam vidas em perigo.

As orientações da campanha encontram-se na página oficial da organização de cariz humanitário, onde está escrito que todos os anos milhões de pessoas são forçadas a abandonar os respetivos lares devido a conflitos nos países de origem, mas também por perseguições e pobreza, sendo que apenas uma “pequena porção” delas encontra “santuário e uma vida melhor na União Europeia”.

As críticas são feitas às leis vigentes nos países do velho continente: “Todos os anos centenas de pessoas morrem a tentar chegar a costa europeia. Inúmeros outros são violentamente empurrados para trás junto às fronteiras europeias ou presos em países vizinhos que não respeitam os seus direitos”.

E o que pede a campanha a que Varoufakis se juntou ao deixar ser publicada uma fotografia sua no Twitter para meio mundo ver? O aumento das operações de busca e salvamento nos mares, melhorar e simplificar o acesso legal de entrada na Europa e pôr fim à cooperação europeia com países que não respeitam os direitos humanos.