“Nunca mais vou usar Dolce & Gabbana“. Quem o disse foi o músico Elton John que prometeu, este domingo, boicotar a griffe. O protesto vem na sequência das declarações dos designers líderes da marca a uma revista italiana, onde se referiram às crianças nascidas por fecundação in vitro como “sintéticas”. Domenico Dolce e Stefano Gabbana, que um dia formaram um casal homossexual, falaram contra as famílias do mesmo sexo durante a entrevista: “Somos contra adoções por parte de gays. A única família é a tradicional”.

elton

O artista britânico de 67 anos está casado com David Furnish e tem dois filhos nascidos por fecundação in vitro. Revoltado com as declarações dos estilistas, levou o debate para as redes sociais. Na sua conta de Instagram escreveu: “Como é que vocês se atrevem a referir aos meus lindos filhos como “sintéticos? (…) A vossa forma arcaica de pensar não está em sintonia com os tempos, tal como a vossa moda”. Elton John referiu ainda que a fertilização in vitro é “um milagre” que permitiu a muitas pessoas — gays e heterossexuais — concretizar o sonho de serem pais.

Na entrevista à revista Panorama, Dolce disse ainda que a procriação deve ser um ato de amor e acrescentou que as pessoas nascem de uma mãe e de um pai — “Pelo menos é assim que deveria ser”. Gabbana, por seu turno, acrescentou: “A família não é uma moda passageira. Há nela um sentimento sobrenatural de pertença”.

Esta não é a primeira vez que os designers/sócios protagonizam declarações polémicas. Já em 2006, Gabanna afirmou que se opunha à ideia de uma criança crescer com dois pais homossexuais. “Uma criança precisa de uma mãe e de um pai. Eu não conseguiria imaginar a minha infância sem a minha mãe. Também acredito que é cruel tirar um bebé da sua mãe”.

O certo é que a hashtag #BoycottDolceGabbana (“Boicote à DolceGabbana”), divulgada pelo músico britânico, está a inundar o Twitter, onde várias pessoas estão a mostrar o seu apoio a Elton John.