Airbus 320

Os grandes desastres aéreos nos Alpes

Apesar de serem habitualmente considerados uma zona segura para o tráfego aéreo, os Alpes têm sido palco de vários desastres aereos de larga escala.

Desastre aéreo Superga a 4 de Maio de 1949, onde toda a equipa italiana de futebol Torino FC se despenhou a bordo do Fiat G.212 da Avio Linee Italiane

Getty Images

Localizados numa zona densamente povoada e economicamente próspera, a região dos Alpes tem uma enorme nebulosa de tráfego aéreo, apesar da presença ameaçadora das montanhas. E se apenas um em cada quatro milhões de voos sofre um acidente, os Alpes já foram, contudo, palco de vários desastres de grande escala, selenca o jornal espanhol El Mundo.

A região dos Alpes ocupa cerca de 250.000 quilómetros quadrados do centro da Europa, abrangendo países como França, Alemanha, Itália, Suíça, Áustria, Mónaco, Eslovénia e Liechtenstein. Algumas das maiores e mais confiáveis companhias aéreas do mundo estão sediadas em países alpinos, possuindo sistemas de controlo de tráfego aéreo altamente sofisticados, que permitem a navegação sobre os céus europeus mais atribulados.

Contudo, os Alpes já foram lugar de grandes acidentes aéreos que ficaram para a história

A 3 de novembro de 1950,

Um ‘Constellation’ da Air India despenhou-se sobre o Monte Branco, a icónica montanha mais alta dos Alpes, tirando a vida a 48 passageiros.

A 1 de setembro de 1953

Outro ‘Constellation’, desta vez da Air France, caiu sobre as montanhas alpinas, perto da zona onde esta terça-feira o Airbus 320 da Germanwings se despenhou, causando 48 mortes.

A 4 de maio de 1949

Uma das tragédias aéreas mais lembradas foi a do desastre aéreo de Superga, onde toda a equipa italiana de futebol Torino FC, conhecida como “Il Grande Torino”, se despenhou a bordo do Fiat G.212 da Avio Linee Italiane nas proximidades dos Alpes. A equipa a bordo era considerada uma das melhores equipas de futebol de sempre, recorda o El Mundo. A equipa italiana voltava a casa de Lisboa, com escala em Barcelona, após ter jogado contra o Benfica numa partida particular em homenagem a Xico Ferreira, capitão da Seleção portuguesa e do Benfica. Quando se preparava para aterrar, as nuvens pareciam tocar no chão não permitindo uma visibilidade superior a 40 metros e o vento soprava em fortes rajadas. O Fiat F.212 embateu contra um vale junto à Basílica de Superga, tirando a vida a toda à equipa do Torino FC, e a técnicos, gestores e jornalistas.

A 6 de fevereiro de 1958

Na região alpina da Baviera, o voo BE609 da Britânica British European Airways, que levava vários jogadores da equipa de futebol inglesa Manchester United incluindo Duncan Edwards, diretores do clube e jornalistas, despenhou-se num nevão à terceira tentativa de descolagem no aeroporto de Munique.

A 1 de julho de 2002,

Na cidade de Überlingen, na Alemanha, junto ao Lago de Constança que também faz fronteira com a Suíça, dois aviões colidiram no ar. Um deles era o Boeing 757 da empresa DHL com apenas dois pilotos a bordo. O segundo avião era um Tupolev 154 da companhia aérea russa Bashkirian, com rota entre Moscovo e Barcelona, que transportava 69 passageiros incluindo 52 crianças em idade escolar. Não houve sobreviventes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)