A Arábia Saudita, que lidera uma intervenção no Iémen, vai ser “derrotada”, afirmou o chefe do movimento xiita libanês Hezbollah, pró-iraniano, Hassan Nasrallah, ao mesmo tempo que pediu aos líderes árabes para “pararem a agressão”.

O Hezbollah, envolvido nas frentes da Síria e do Iraque, é apoiado pela República Islâmica do Irão, tal como os rebeldes xiitas “houthis” no Iémen, alvo do ataque aéreo realizado por Riade desde quarta-feira. “O resultado desta batalha é claro: a Arábia Saudita será derrotada e os iemenitas vão ter uma vitória clara”, disse Hassan Nasrallah.

O Iémen vive uma crise política desde 22 de janeiro na sequência da renúncia do Presidente Abd Rabbo Mansur Hadi e do seu Governo, dois dias depois da milícia xiita assumir o controlo do palácio presidencial.

Os “huthis” já assumiram o controlo de sete províncias do país, mas a ONU considera Abd Rabbo Mansur Hadi como o “Presidente legítimo” do Iémen. O Presidente do Iémen refugiou-se esta semana na Arábia Saudita.