A transportadora aérea alemã Lufthansa, dona da low-cost Germanwings, não terá informado a autoridade de segurança aérea dos problemas psicológicos do co-piloto Andreas Lubitz, que se suspeita ser responsável pela queda do voo com destino a Dusseldorf sobre os Alpes franceses no passado dia 24, e que provocou a morte a 150 pessoas.

Segundo o jornal alemão Die Welt, que cita fontes da autoridade, “não é certo que o departamento federal de Tráfico Aéreo tenha estivesse informado da situação médica em causa”.

Recorde-se que este tipo de informação tem obrigatoriamente de ser transmitida a esta autoridade e em 2009 Andreas Lubitz interrompeu a sua formação devido a um episódio de “depressão profunda”, tendo informado a escola de voo da Lufthansa disso mesmo.

Segundo a mesma fonte, a autoridade só terá tido acesso à ficha médica de Andreas Lubitz no passado dia 27 de março, três dias depois da queda do Airbus A320 da Germanwings.