A Rússia pretende reduzir o número de hotéis a construir para o Mundial 2018 de futebol para reduzir os custos de investimento na competição, face à crise económica no país.

O ministro do desporto da Rússia, Vitaly Mutko, propôs a retirada de 25 hotéis do plano inicial — cerca de 40 por cento do que estava previsto -, mas os responsáveis reiteram que haverá número suficiente de quartos para receber os adeptos.

As mudanças, publicadas no sítio oficial do governo, permitirão uma poupança de 27 mil milhões de rublos (cerca de 435 milhões de euros).

Os principais cortes afetam a região de Nizhny Novgorod, a sede do estádio do FC Lokomotiv, para o qual estava prevista a construção de 15 hotéis. Outras cidades que sofrerão cortes são Volgogrado, Kaliningrado, Rostov-on-Don e Saransk.

Um responsável da organização disse, entretanto, ao jornal económico russo Vedomosti, que, mesmo assim, o número de hotéis e quartos cumprem as exigências da FIFA.