Horta Osório perdeu 476 mil euros em bónus e o banco que lidera foi multado em 160 milhões de euros pelo regulador financeiro britânico, a Financial Conduct Authority (FCA). Em causa está a forma como o banco tem gerido as reclamações dos clientes face à polémica dos seguros de crédito, um dos escândalos que tem assolado a banca britânica nos últimos cinco anos, conta a Reuters.

É a maior multa alguma vez aplicada pelo regulador a uma instituição financeira no Reino Unido. No centro da coima está o facto de o Lloyds Bank “ter rejeitado injustamente um número significativo de pedidos de indemnização dos clientes entre março de 2012 e maio de 2013”. Apesar de os seguros de crédito visarem proteger os consumidores em caso de doença ou desemprego, foram vendidos “muitas vezes a clientes que não os exigiam ou que não estavam capazes de os reivindicar”.

“Apesar de as nossas intenções serem boas, cometemos erros na forma como gerimos as queixas relativas aos seguros de crédito. Lamento muito”, disse Horta Osório num pedido de desculpas oficial do banco aos consumidores.

Conhecida a decisão do regulador, o banco avançou que vai cortar os bónus da equipa em 40 milhões de euros para fazer face à multa. Esta decisão recai sobre os rendimentos de 2015. No que diz respeito aos prémios passados, os executivos vão ter de devolver 3,6 milhões de euros. Fonte próxima do processo disse à Reuters que o português Horta Osório vai perder 476 mil euros relativas à remuneração de 2014.

O Lloyds tem uma provisão de 16 mil milhões de libras para compensar clientes e avançou que os custos destes caso não iriam influenciar a dimensão da provisão.