O Brasil vai ser palco, entre 08 e 11 de junho, de três ações de promoção dos vinhos, turismo e cultura do Douro que visam atrair mais visitantes e mais investimentos à região, anunciou hoje a organização.

A iniciativa “Há um rio que começa no Douro e termina no Brasil” é da responsabilidade da Associação dos Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR).

“O objetivo é a promoção das várias valências do Douro além-fronteiras, tentando maximizar a visibilidade no estrangeiro e atrair mais turistas e mais investimento à região”, afirmou à agência Lusa Pedro Castro, vice-presidente da AETUR.

Entre 08 e 11 de junho, decorrerão três ações no Rio de Janeiro, Brasil, para, segundo o responsável, “potenciar o turismo, os vinhos e gastronomia e a própria cultura do Douro”.

Neste momento, o mercado brasileiro já ocupa o “top cinco” dos países emissores de turistas para Portugal.

No Brasil, serão apresentados aos operadores e agências de viagem vários circuitos turísticos integrados, que começam no Porto, “a porta de entrada” para o Douro vinhateiro.

A AETUR leva na bagagem vários roteiros turísticos preparados, com períodos de estadia diferentes, com sugestões de onde dormir, onde comer e o que visitar, que se possam adaptar à vontade de cada turista.

Também a nível dos vinhos, as vendas para aquele país têm vindo a aumentar. No ano passado as exportações de vinho do Porto para o Brasil atingiram os 3,8 milhões de euros e, nos primeiros quatro meses de 2015, o volume de negócios rondou os 1,2 milhões de euros.

As ações incluem a apresentação de vinhos do Porto e Douro, a realização de provas comentadas e são dirigidas a importadores, distribuidores e jornalistas da área dos vinhos e gastronomia.

No âmbito desta iniciativa, vai ser apresentado o Douro Film Harvest, o festival de cinema que se realiza no território desde 2009 e que, na edição de 2015, se vai estender a Zamora, Espanha, dando uma dimensão ibérica ao evento que se diferencia por combinar cinema, gastronomia e música.

Por sua vez, o Museu do Douro associa-se a esta missão com a exposição fotográfica sobre o Douro Património da Humanidade, classificado em 2001 pela UNESCO, que foi desenvolvida em parceria com a National Geographic e apresentada, pela primeira vez, em Washington, nos Estados Unidos da América (EUA).

“O Douro não é só vinho ou um rio. É todo um vasto leque de culturas e experiências que têm que ser vendidas como um todo para marcar a diferença face a outros territórios e para aguçar mais o apetite a quem o queira visitar”, salientou Pedro Castro.

A iniciativa da AETUR conta com o apoio institucional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N), da Agência Regional de Promoção Turística (ARPT), das câmaras do Porto e Sabrosa.

A ideia é também integrar a ação na Rede das Cidades Magalhânicas e, no Brasil, o evento vai ter a chancela oficial das comemorações dos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro.

A festa de encerramento desta missão conta com a atuação da fadista portuguesa Cuca Roseta e a presença do secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros.

A ação “Há um rio que começa no Douro e Termina no Brasil” resulta de uma candidatura a fundos comunitários de ‘overbooking’ de cerca de 100 mil euros.