É a deixa para carregar no botão replay da aparelhagem (ou do smartphone) e permitir que a voz de Barbra Streisand apele à melancolia com a música The Way We WereO romance protagonizado por Charlize Theron e Sean Penn chegou ao fim, avançam as revistas People e US Weekly. Os atores estavam de casamento marcado desde o final do ano passado, quando Penn pediu a mão da sul-africana durante uma viagem a Paris.

Desde que começaram a namorar em 2013 — os rumores de uma possível relação surgiram, no entanto, três anos antes –, os dois eram praticamente inseparáveis. Agora, e de acordo com fontes não identificadas, Theron e Penn têm estado a viver debaixo de tetos diferentes: ela optou pela sua casa em Hollywood, onde vive com o filho adotado de três anos, ele deixou-se ficar na sua mansão em Malibu, a não muitos quilómetros de diferença.

Apesar das notícias que estão a invadir a imprensa internacional, os representantes da dupla ainda não confirmaram qualquer informação, o que deixa as coisas em aberto. Ainda no último mês de maio os atores dominaram a passadeira vermelha de Cannes e foram o centro de todas as atenções — Charlize desfilou com um Dior amarelo vivo e Penn manteve-se sempre do seu lado.

A história de amor que parecer ter chegado ao fim começou muito antes de o romance vir a público, uma vez que os dois têm mais de vinte anos de cumplicidade a uni-los. E, não há tanto tempo quanto isso, Theron contava à edição britânica da Elle que Penn era o amor da sua vida: “Pondo de lado o facto de ser o meu parceiro, ele é o homem da minha vida; pela primeira vez senti que o meu trabalho estava a afetar a minha vida e isso tornou as coisas difíceis”.

Penn, por sua vez, comentou durante uma entrevista à Esquire britânica que estava pronto para ser um marido, mesmo depois de dois casamentos falhados — o primeiro foi com a cantora Madonna, entre 1985 e 1989, e o segundo com Robin Wright, uma relação que durou 14 anos e da qual resultaram dois filhos. “Dizem-me que fui casado duas vezes no passado, mas casei-me em circunstâncias onde estava menos informado do que estou hoje. Pelo que não o consideraria um terceiro casamento, mas sim um primeiro…”.