Um grupo de assaltantes barricou-se, esta segunda-feira, dentro de uma loja de pronto a vestir à saída de Paris, mantendo várias pessoas no interior, noticiou o Guardian. A última atualização do jornal britânico, às 10h10, indicava que as forças especiais francesas destacadas para o local tinham conseguido retirar 18 pessoas.

“Por volta das 6h30 [menos uma hora em Lisboa], dois ou três criminosos armados entraram na loja da Primark para aquilo que achamos que seria inicialmente um assalto à mão-armada”, referiu uma fonte policial citada pelo Guardian. Um dos assaltantes poderá ser um funcionário da loja, noticiou o International Business Times, e a escolha do dia e da hora pode estar relacionada com a recolha do dinheiro para depósito depois das vendas do fim de semana.

O alerta foi dado por uma das funcionárias que se encontra no interior da loja. Esta enviou uma mensagem de telemóvel ao namorado por volta das 7 horas (hora local) a avisar que tinha sido feita refém por dois homens armados, referiu outra fonte policial também citada pelo Guardian.

“Fomos feitos reféns por dois homens armados.”

Até ao momento ainda não foi possível se os assaltantes ainda se encontram no edifício do centro comercial ou se já fugiram. Também não é claro se as pessoas que estavam fechadas dentro da loja foram feitas reféns ou se se estavam a esconder dos assaltantes. Certo é que não há feridos a registar.

A loja está localizada nos arredores de Paris, em Villeneuve-la-Garenne, na região de Hauts-de-Seine, a noroeste da capital francesa. A polícia cortou o trânsito junto ao centro comercial Qwartz onde se localiza a Primark e evacuou o espaço.

Este assalto acontece na véspera da festa nacional de França, a das celebrações francesas da Tomada da Bastilha, um dos eventos principais na Revolução Francesa. Acontece também num momento em que o país está em alerta máximo em relação às atividades terroristas.

Atualizado às 15h30.