O anúncio do resultado da negociação entre Teerão e as potências mundiais sobre o programa nuclear iraniano foi adiado para hoje, informaram fontes diplomáticas em Viena.

Depois da meia-noite, um delegado russo revelou aos jornalistas que está prevista a realização de uma sessão plenária, com todas as partes envolvidas na negociação do dossiê nuclear iraniano, a partir das 08h00 (09h00 em Lisboa).

De seguida, a chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, deve proferir uma declaração conjunta com o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohammad Javad Zarif.

A maratona negocial, para colocar termo a um impasse de 13 anos, prosseguia ao início da madrugada.

Poucas notícias e muitos rumores saíram, esta segunda-feira, do hotel Palais Coburg, em Viena, onde se reuniram os ministros dos Negócios Estrangeiros do Irão e do chamado Grupo 5+1 — os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (EUA, Rússia, China, França e Reino Unido) mais a Alemanha.

Ao início do dia, o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Wang Yi, afirmou estarem reunidas as condições para um bom acordo com Teerão e defendeu que “não pode nem deve haver mais atrasos”.

Relançadas em novembro de 2013 pelo Irão e pelas seis potências mundiais, as negociações têm como objetivo chegar a um acordo histórico que garanta que Teerão não tenta obter uma bomba atómica recebendo como contrapartida um levantamento das sanções económicas que lhe foram impostas.