Quarenta e seis anos depois da alunagem, o fato que Neil Armstrong usou nos primeiros passos em território lunar precisa de ajuda. Na qualidade de instituição pública, o Smithsonian’s National Air and Space Museum – onde estão guardados os objetos que marcam a exploração espacial e a história da aviação – precisa de patrocínios que colmatem 36% das necessidades que não são cobertas pelo governo norte-americano. E para tal, lançou uma campanha de recolha de fundos através da Kickstarter.

De acordo com o El País, o fato de astronauta utilizado durante a missão Apollo XI é um dos que mais exige investimento. Ele tem de estar conservado numa câmara com condições de temperatura, humidade, pressão e luminosidade adequadas. E ainda assim não tem sido suficiente para manter o fato intacto, o que impossibilita o estudo por parte de investigadores e a visita de pessoas.

No mês passado, o museu Smithsonian pediu 500 mil dólares aos participantes da Kickstarter. Deste valor, 100 mil seriam investidos exclusivamente no fato e o restante seria guardado para necessidades futuras. Um dos projetos em vista é fazer uma impressão 3D do fato original de Neil Armstrong para exposição.

Até agora, o museu conseguiu recolher 700 mil dólares. Quem puder entregar pelo menos 9.500 dólares à campanha será convidado a estar presente na festa do 50º aniversário do Homem na Lua. A campanha acaba a 19 de agosto.