Turismo

Sete praias fluviais fechadas no distrito de Castelo Branco por diminuição dos caudais

Sete praias fluviais em Castelo Branco, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei estão fechadas devido à diminuição dos caudais dos rios. A situação, "complicada", pode causar prejuízos aos municípios.

A falta de água obrigou vários municípios a fecharem praias fluviais

Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens

Sete praias fluviais em quatro concelhos do distrito de Castelo Branco — Castelo Branco, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei — estão encerradas devido à diminuição dos caudais dos rios, disseram à agência Lusa autarcas destes municípios.

Em Proença-a-Nova, três das cinco praias fluviais existentes — Aldeia Ruiva, Fróia e Cerejeira, situadas em cursos de água diferentes — estão encerradas por causa da falta de água, permanecendo abertas as do Malhadal e do Alvito. “O período de seca que grande parte do país atravessa reflete-se nos caudais dos cursos de água onde temos as praias fluviais e, infelizmente, não há nada a fazer”, afirmou o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino.

O autarca sublinhou que a situação causa prejuízos ao município: “Para além da questão da imagem e do empenhamento que temos na divulgação das praias durante o ano todo”, é muito “desmotivante” chegar a “esta altura e não podermos usufruir delas, por não ter condições”, sustentou. Também os bares concessionados acabam por ter prejuízos “significativos”.

Em Castelo Branco, estão encerradas as duas praias fluviais, no Sesmo e em Almaceda: “Foram feitos avisos e a Câmara retirou todas as informações que se encontravam no sítio da internet do município”, explicou o vice-presidente, Arnaldo Brás.

O autarca considerou que a situação não provoca “grande transtorno”, uma vez que o município está bem servido de equipamentos que permitem ir a banhos. “Temos várias piscinas, tanto na sede do concelho, como espalhadas pelas várias freguesias de Castelo Branco”, disse.

A falta de água obrigou também a Câmara da Sertã a encerrar a praia fluvial da Ribeira Grande, uma das duas existentes neste concelho, mantendo-se apenas aberta a do Troviscal. O presidente da Câmara, José Farinha Nunes, explicou que a situação não causa, no entanto, grande transtorno, uma vez que a praia encerrada está situada em plena vila, ao lado do complexo de piscinas. “Esta situação aumentou a procura nas piscinas municipais”, adiantou.

Em Vila de Rei, igualmente no sul do distrito de Castelo Branco, na zona do Pinhal Interior, a diminuição dos caudais nas linhas de água provocou o fecho de uma das cinco praias fluviais do concelho. “Tivemos que encerrar a praia do Pego das Cancelas devido à falta de água”, explicou o presidente do município, Ricardo Aires.

A “situação é complicada”, até “porque foram feitas as manutenções para receber melhor os turistas e os veraneantes”, acrescentou. “Fizemos a divulgação de que as praias estariam todas em condições e agora tivemos que encerrar”, lamentou. Estão abertas ao público as praias fluviais de Fernandaires, Bostelim, Zaboeira e Penedo Furado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)