A polícia deteve, na Hungria, três pessoas alegadamente implicadas na morte de 71 migrantes, encontrados num camião frigorífico abandonado no leste da Áustria, noticiou hoje o diário austríaco Krone. A informação não foi confirmada pelo ministério do Interior austríaco e não foram avançados quaisquer pormenores.

De acordo com o jornal, as detenções ocorreram na Hungria e as autoridades suspeitam que os alegados líderes deste grupo de traficantes estão na Roménia.

O ministério do Interior austríaco anunciou que são mais de 70 os corpos encontrados no interior do camião abandonado no leste da Áustria, oriundo da Hungria.

O camião, de 7,5 toneladas e um compartimento de carga com cinco metros, estava parado numa zona especial para avarias da autoestrada A4, entre o lago Neusiedl e a localidade de Parndorf, no estado de Burgenland, na fronteira com a Hungria. A polícia calcula que as vítimas tenham morrido entre 36 e 48 horas antes do camião ter sido encontrado, na quinta-feira, ao meio da manhã. Os cadáveres já estavam em decomposição e os peritos forenses trabalharam durante toda a noite para recuperar os corpos.

Confirmada a morte de 71 migrantes sírios

Ainda esta sexta-feira, a polícia austríaca afirmou em conferência de imprensa que os 71 corpos encontrados num camião abandonado numa autoestrada austríaca deviam ser migrantes sírios.

“Entre as 71 pessoas, contavam-se 59 homens, oito mulheres e quatro crianças, uma das quais com um ou dois anos de idade”, declarou o porta-voz da polícia, Hans Peter Doskozil, em conferência de imprensa.

“Foi encontrado um documento de viagem sírio, por isso a nossa primeira conclusão é a de que se trata provavelmente de um grupo de migrantes oriundo da Síria. Excluímos a possibilidade de serem africanos”, acrescentou.

Doskozil disse que três pessoas foram detidas na Hungria, alegadamente o proprietário e os motoristas do camião frigorífico abandonado numa zona especial para avarias da autoestrada A4, entre o lago Neusiedl e a localidade de Parndorf, no estado de Burgenland, na fronteira com a Hungria.

Um dos detidos, presumivelmente o proprietário do camião, tem nacionalidade búlgara e origem libanesa. Os outros – um búlgaro e uma pessoa com documentos húngaros – são “seguramente os motoristas do veículo”, disse.