O Syriza garante que, caso vença as eleições de 20 setembro, irá reverter a subida do IVA na educação (em escolas privadas) que foi aprovada em julho como uma várias medidas “pré-exigidas” pelos credores para o terceiro resgate. Alexis Tsipras pede, aliás, que o governo provisório liderado por Vassiliki Thanou suspenda – já – a entrada em vigor desta medida.

Foi num comunicado divulgado ao final da noite de terça-feira pelo Syriza que o partido, que pede uma maioria absoluta apesar de as sondagens não o fazerem prever, irá cancelar a entrada em vigor da subida do IVA para 23% nas escolas e universidades privadas. A medida, aprovada em julho mas só publicada na segunda-feira (segundo a Reuters), deverá entrar em vigor já nos pagamentos deste mês e deverá render 350 milhões de euros até ao final do próximo ano.

Mas Alexis Tsipras diz que é “a grande prioridade para milhares de lares” que esta medida não seja aplicada. Segundo o jornal Kathimerini, chegou às 200 mil assinaturas uma petição lançada nos últimos dias para tentar impedir a subida do imposto.

Tsipras diz que a medida foi aprovada em julho, pelo seu governo, mas sublinha que foi uma exigência dos credores e, ao mesmo tempo, recorda que o principal partido da oposição – o Nova Democracia – a votou favoravelmente nas votações parlamentares que permitiram o terceiro resgate. O partido Nova Democracia já tinha, pela voz do seu líder, Vangelis Meimarakis, avisado para o impacto negativo para as famílias desta subida de imposto.

Quem já comentou a polémica, também, foi porta-voz da Comissão Europeia que garantiu, perante as críticas de Alexis Tsipras, que não foi Bruxelas quem pediu que esta medida, em particular, fosse aplicada.

Este tema será, certamente, abordado num dos debates televisivos que estão a ser preparados para os próximos dias. Deverá haver dois debates, um envolvendo os líderes de todos os partidos (possivelmente a 10 de setembro) e um segundo, a 14 de setembro (data não confirmada ainda), que apenas colocará frente a frente Alexis Tsipras e Vangelis Meimarakis.

O Syriza deverá apresentar este domingo as linhas gerais do programa eleitoral, em Salónica.