O Reino Unido vai receber até 20 mil refugiados sírios nos próximos cinco anos, anunciou esta segunda-feira o primeiro-ministro britânico, David Cameron. O anúncio recebeu o apoio da chanceller alemã, Angela Merkel.

Num discurso feito esta tarde na Câmara dos Comuns, Cameron referiu que, apesar de o Reino Unido já ter acolhido “mais de cinco mil sírios” e introduzido “um plano de acolhimento específico, de modo a ajudar os refugiados em risco”, a escala “da crise e do sofrimento do povo sírio” obriga a que seja necessário fazer “muito mais”.

Os britânicos ficaram “profundamente comovidos com as imagens chocantes” que foram divulgadas nos últimos dias. “É absolutamente correto que o Reino Unido responda às suas responsabilidades morais e ajude aqueles refugiados”, referiu o primeiro ministro britânico, citado pelo Guardian.

Como o Reino Unido não faz parte do programa de acolhimento da União Europeia, o primeiro-ministro explicou que o país pode decidir quem entra no país. “As crianças que se encontrem numa situação vulnerável, incluindo órfãos, terão prioridade”, salientou o primeiro-ministro.

Aos membros da Câmara dos Comuns, Cameron disse acreditar que é preferível acolher pessoas que venham diretamente dos campos de refugiados. “Acima de tudo, não quero encorajar as pessoas a atravessarem o Mediterrâneo”, defendeu. O primeiro-ministro, que admitiu ter falado ao telefone com Angela Merkel, referiu o anúncio recebeu o apoio da chanceller alemã.

Alguns concelhos já se mostraram disponíveis para receber os refugiados o que, para Cameron, é uma prova da generosidade do povo britânico. O apoio externo “vai financiar os primeiros 12 meses”, acrescentou o primeiro-ministro britânico.