Entra
Antes de o Beato se tornar num dos pólos criativos da cidade, já Pedro Marques o escolhera para instalar o Entra, um restaurante onde a criatividade sempre foi tão importante como a matéria-prima ou os eletrodomésticos. Fazendo jus a esse estatuto, há já mais de três anos que ali não se escolhe à carta aos jantares. Isso mesmo: este foi dos primeiros restaurantes da cidade a ter um menu surpresa onde, como o próprio Pedro explica, a ideia é que “ninguém saiba muito bem o que vai comer.” O menu é fixo, custa 19,50€ (sem bebidas), e, segundo o responsável, “parte de uma base pensada semanalmente que vai sendo ajustada todos os dias consoante as necessidades.” Inclui duas entradas, um prato de peixe, outro de carne e duas sobremesas. Pelo menu ser fixo, e pelo Entra ter uma legião forte de clientes regulares, se alguém repetir a visita na mesma semana pode sempre avisar — isto se não for reconhecido — para que haja uma variação no que é servido. Não menos importante: as intolerâncias alimentares também são tidas em conta.

Rua do Açúcar 80 (Beato), Lisboa. 21 241 7014. O menu serve-se aos jantares, de terça a sábado, das 19h30 às 23h.

Feitoria
No restaurante do hotel Altis Belém, uma das estrelas Michelin da capital, o chamado “menu criativo” é uma tradição que vem dos tempos do seu primeiro chef — hoje mais conhecido pelas suas diversas incursões televisivas –, José Cordeiro. Atualmente, essa oferta continua a existir em moldes semelhantes: o cliente reserva com um mínimo de 48 horas de antecedência, informa quais as suas preferências e restrições, e o chef João Rodrigues trata de o surpreender e, se tudo correr bem, satisfazer. Sendo um menu bastante flexível, que varia conforme os produtos utilizados (o chef é um adepto dos produtos de época), não tem um preço fixo. Esperem-se, por isso, preços Michelin, mas uma qualidade condizente, já que João Rodrigues é um dos valores mais seguros da nossa gastronomia — foi, inclusive, distinguido este ano como Chef do Futuro, pela Academia Internacional de Gastronomia.

Altis Belém Hotel & Spa, Doca do Bom Sucesso (Belém), Lisboa. 210 400 200. Aberto de segunda-feira a sábado, das 19h30 às 23h

restaurante Feitoria do hotel Altis BelŽm. foto- Paulo Barata 2011

Para ser surpreendido pela cozinha do chef João Rodrigues é necessário reservar o menu com 48h de antecedência (foto: ©Paulo Barata)

Tasca da Esquina
Na esquina primordial do chef Vítor Sobral, em Campo de Ourique, a opção surpresa dá pelo nome de “Fique nas mãos do chef”. E se atualmente é algo improvável ficar nas mãos de Sobral, devido aos restaurantes que este vai abrindo em diferentes esquinas deste mundo, ficar-se-á igualmente bem servido nas mãos do seu braço direito Hugo Nascimento, que é quem vai estando mais por estes lados. O menu que, segundo os responsáveis do restaurante “pretende surpreender quem visita, com pratos de autor a um preço competitivo”, distingue-se, para já, pela sua flexibilidade: vai das três porções (16,50€), versão disponível apenas ao almoço, até às sete mais sobremesa (38€). Depois, é uma óptima opção para quem quer, de facto, experimentar novas criações da equipa da Tasca, já que nenhum dos pratos servidos faz parte da carta habitual, com a ressalva de que “podem existir ingredientes semelhantes ou preparações similares”. E é natural que assim seja, se se pensar que a cozinha do restaurante é sazonal, criada à base dos frescos do mercado. Quem quiser optar por acompanhar com vinhos, também pode ficar nas mãos, não do chef, mas sim do sommelier, que escolhe os vinhos em função das criações vindas da cozinha. Mais uma vez, as restrições alimentares também são respeitadas, seja por motivos de gravidez, doença celíaca, vegetarianismo ou qualquer outro caso. Já a reserva não é obrigatória mas apenas recomendável, tendo em conta as constantes enchentes da casa.

Rua Domingos Sequeira, 41C (Campo de Ourique), Lisboa. 21 099 3939 /91 983 7255. De segunda a sábado, das 12h30 às 15h30 e das 19h30 às 23h30 (encerra segunda ao almoço). 

tascaesquina

Luís Espadana, Hugo Nascimento e Vítor Sobral, ou como se identificam: “os três da Esquina” (foto: Danny Ivan / Tasca da Esquina)

Pharmacia
“A cura aqui faz-se pelo estômago”, afiança-se no Pharmacia, o belíssimo restaurante instalado no edifício da Associação Nacional do sector desde 2011. Nele, o tratamento mais infalível para a maleita, qualquer que seja ela, será o do respetivo menu surpresa, de autoria da chef Felicidade. E é mesmo assim, por chef Felicidade, que se deve tratar Susana Felicidade, a algarvia responsável por surpreender quem lhe der esse voto de confiança. O menu, servido apenas ao jantar e na sala interior do restaurante, compõe-se de três entradas, prato de peixe, carne e sortido de sobremesas (custa 33€, sem bebidas) e nasceu, segundo a chef, pela constante vontade dos clientes que diziam “surpreenda-me”. Algarvia como é, a chef Felicidade usa e abusa (no bom sentido) dos produtos da sua região (mas não só) para criar aquilo a que chama “o mundo todo na cozinha portuguesa”. E é isso que se deve esperar neste menu, que muda diariamente e é inspirado não só pela sazonalidade dos produtos e pela relação próxima que a chef tem com os seus fornecedores, mas também pela vontade dos clientes, principalmente daqueles que gostam especialmente dos produtos mais habituais da sua cozinha, como a batata-doce ou a vieira.

Rua Marechal Saldanha, 2 (Santa Catarina), Lisboa. 21 346 2146. O menu serve-se apenas ao jantar e na sala interior, de terça a domingo, das 19h30 à 00h. 

Processed with VSCOcam with s2 preset Processed with VSCOcam with c8 preset

Atenção: este não é um dos pratos do menu, apenas serve para ilustrar do que é capaz a chef Felicidade. (foto: DR / Pharmacia)

Dim Sum
Se comer dim sum pode ser, por si só, uma espécie de surpresa, pela forma como a especialidade cantonesa é servida, mais surpresa se torna quando se pode optar pelo menu…surpresa. E não é em vão que se escreveu “surpresa” três vezes na mesma frase. Porque o restaurante Dim Sum, em Oeiras, tem, exatamente, três menus surpresa, pragmaticamente identificados como A (11,50€/pessoa), B (13,50€/pessoa) ou C (16,50€/pessoa). A diferença está apenas no número de entradas e pratos, nunca na qualidade dos ditos, sempre preparados a preceito. Diga-se, a propósito dos pergaminhos da casa, que este Dim Sum é a reinvenção, em Oeiras e num salão que parece saído de um centro de congressos, de uma pequena casa com o mesmo nome, que fez sucesso, durante muitos anos, no Cacém. Para ir à confiança, portanto.

Rua Coro de Santo Amaro de Oeiras, 8D, Oeiras. 21 913 5848 / 96 801 2330. Todos os dias, das 12h às 15h e das 18h30 às 23h.

Mini Bar
É dos espaços mais descontraídos com a chancela de José Avillez, o único chef português com duas estrelas Michelin, e essa descontracção revela-se não só no ambiente do espaço como no próprio menu, que tem uma vertente de experimentação e diversão importante, seja nas margaritas e caipirinhas que se comem, no Ferrero Rocher de foie gras ou num nada banal frango assado, entre outros. Por ficar nas instalações do Teatro São Luiz, a carta do Mini Bar compõe-se de actos e sinopses, sendo que o auge da trama é atingido com o menu surpresa, que aqui dá pelo nome de Épico. Com o mote “entre em cena, nas mãos do chef, e divirta-se!”, o Épico (48,5€/pessoa) compõe-se por nada mais nada menos que 13 momentos, entre pratos e variações. Não inclui bebidas mas inclui surpresas diversas que lhe fazem jus ao nome. Pode ser pedido ao momento e, segundo os responsáveis, não tem uma rotação fixa: “Depende da sazonalidade de alguns produtos, poderá ir tendo algumas alterações de 2 em 2 meses, mas não é certo.” O que é certo, aqui, mais do que no teatro, é o final sempre feliz, já que as sobremesas também estão incluídas.

Rua António Maria Cardoso, 58 (Chiado). 21 130 5393. Todos os dias, das 19h à 01h. 

Menu do restaurante/bar MiniBar do chef José Avillez no Chiado, Lisboa. foto- paulo barata 2014

Globo de lima limão, uma das sobremesas do Mini Bar (foto: ©Paulo Barata)

Areias do Seixo
Não fica propriamente em Lisboa (apesar de ainda pertencer ao distrito), antes num magnífico hotel de cinco estrelas nos arredores de Santa Cruz, mas vale cada metro dos 69300 que o Google Maps garante que o separam a capital. E não vale só pelo percurso do chef Leonardo Pereira, que antes de voltar ao país passou quatro anos na cozinha do dinamarquês Noma, várias vezes considerado um dos melhores restaurantes do mundo, mas também pela filosofia da cozinha, que prima pela sazonalidade e usa os produtos que nascem na imensa horta orgânica cultivada nas imediações do hotel. O menu degustação (8 pratos / 65€) é, por isso, uma surpresa constante: nunca está exposto e depende daquilo a que chamam as “oferendas de cada dia”, a que a cozinha se adapta constantemente com criatividade de sobra. Merece, por isso a descoberta. E a viagem.

Praceta do Atlântico,  Póvoa de Penafirme (A-dos-Cunhados), Torres Vedras. 261 936 340. Almoços: sábados, domingos, feriados, e todos os dias de 15 de Junho a 15 de Setembro, a partir das 13h. Jantares: todos os dias a partir das 19h