Era um português contra outro e ganhou quem já foi bem feliz nas ondas do Guincho. Vasco Ribeiro levou a melhor, Frederico Morais ficou com a parte pior. E foi o campeão mundial júnior a, esta quinta-feira, seguir para os quartos-de-final do Allianz Billabong Pro Cascais. Vasco Ribeiro é o único português ainda a competir na prova que dá 10.000 pontos para o circuito de qualificação (QS), no qual o surfista da Linha de Cascais se encontra na 72.ª posição. E que jeito vão dar os pontos que já garantiu na praia do Guincho.

A vitória vale-lhe, pelo menos, 5.200 pontos para o circuito, dando logo direito a um pulo na classificação, e mais — assegura que vai receber um wildcard para estar no Moche Rip Curl Pro, a etapa do circuito mundial de surf que se realizará entre 20 e 31 de outubro na praia de Supertubos, em Peniche. Mas só conseguiu tudo isto nos últimos instantes e nas derradeiras duas ondas da bateria que realizou contra Frederico Morais, campeão nacional de surf em 2013.

No último minuto da bateria, Vasco Ribeiro precisava de uma onda que fosse pontuada, pelo menos, com um 7,07. A prioridade estava com Frederico Morais, que ainda o bloqueou na primeira onda que o cascalense tentou apanhar. A que veio logo a seguir, contudo, deu-lhe uma parede comprida o suficiente para Vasco Ribeiro fazer um 9,73. “É difícil competir contra o Kikas [Frederico Morais], que é um dos meus melhores amigos, na praia onde surfamos todos os dias, mas fico contente por ter sido um bom heat”, disse, no final. Agora, nos “quartos”, o português vai defrontar Kolohe Andino, norte-americano que está no 29.º lugar do ranking do circuito mundial de surf.

O outro português que ainda competiu esta quinta-feira na prova era Tiago Pires. Mas aquele que foi o único a já ter estado no circuito mundial de surf perdeu na segunda ronda para Wigolly Dantas, brasileiro que pertence ao CT (Championship Tour, o circuito mundial de surf), e para o norte-americano Evan Geiselmann.