Rádio Observador

Empreendedorismo

Ideias de negócio na área do retalho? A Sonae Sierra procura empreendedores

194

A Sonae Sierra lançou um concurso para que cinco empreendedores possam testar as suas ideias de negócio num dos 13 centros comerciais aderentes, gratuitamente, durante seis meses.

O centro comercial Colombo é um dos 13 aderentes à iniciativa "Rising Store"

A Sonae Sierra quer promover o empreendedorismo e lançou um concurso de ideias de negócio para a área de retalho. Entre 1 de novembro e 31 de dezembro, quem quiser concorrer ao Rising Store, deve fazê-lo no site da iniciativa. Os cinco vencedores terão oportunidade de testar as suas ideias gratuitamente num dos 13 centros comerciais aderentes, como o Colombo, LoureShopping ou GaiaShopping, durante seis meses. 

A iniciativa conta com o apoio da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), da agência Young & Rubicam, do Instituto de Negociação e Vendas e do produtor executivo do Shark Tank, entre outros representantes que integram o júri do concurso. Os vencedores só serão anunciados em fevereiro de 2016. 

Além de darmos oportunidade aos empreendedores portugueses de desenvolverem e testarem o seu negócio num ambiente real e com todo o nosso conhecimento e experiência como suporte, queremos também atrair para os nossos centros comerciais as marcas e conceitos mais inovadores e promissoras, completando e dinamizando assim o nosso ‘mix’ comercial”, explicou ao Observador Manuela Calhau, diretora de marketing e inovação da Sonae Sierra. 

O Rising Store surgiu no âmbito da política de responsabilidade corporativa da empresa e Manuela Calhau explica que a Sonae Sierra está “totalmente empenhada em ajudar a concretizar projetos que acrescentem valor aos centros comerciais” que gere. Em caso de empate de vencedores, é dada preferência a empreendedores licenciados há menos de três anos e com idade inferior a 35 anos ou em situação de desemprego. 

As ideias vão ser escolhidas tendo em conta o caráter inovador e originalidade da ideia, a sua relevância estratégica para integrar a oferta comercial dos centros da Sonae Sierra, o seu potencial de negócio e qualidade da apresentação. As candidaturas podem incluir projetos em qualquer área, da saúde à moda ou à alimentação. 

Existe imenso dinamismo e ideias de negócio com muito potencial em Portugal. A área das startups tecnológicas é talvez a mais mediática, mas também no retalho encontramos todos os dias ideias promissoras. Acontece, porém, que muitas não passam disso mesmo: de ideias. E para que possam evoluir para iniciativas concretas e crescerem de forma sustentável, algumas precisam de apoio técnico e económico. É isso que nos propomos fazer”, acrescenta Manuela Calhau. 

A quem quiser concorrer, Manuela Calhau dá um conselho: “é fundamental as questões seguintes sejam respondidas de forma clara”. E que questões são essas? São três: “Porque é que os clientes dos nossos centros comerciais vão comprar o produto ou serviço proposto? Porque é que a experiência de compra vai ser positiva ao ponto de contribuir para a repetição da visita e da compra? Porque é que a proposta de negócio é rentável e como vai poder evoluir a médio prazo?”

O retalho é uma área incrivelmente dinâmica e sabemos que existem áreas que podem ser ainda mais e melhor exploradas por nós”, adianta. 

A Sonae Sierra é proprietária de 46 centros comerciais com um valor de mercado superior a 6 mil milhões de euros, e está presente em 4 continentes e 17 países. Em 2014, registou mais de 440 milhões de visitas nos centros comerciais que gere.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)